Como conseguir uma namorada rápido

Assim, para arrumar uma namorada é importante identificar todas as suas atitudes incorretas e encontrar uma maneira de mudá-las. 8. Como arrumar uma namorada sem desespero. Tudo tem o seu tempo e se você está agindo para arrumar uma namorada, com toda a certeza, antes do que imagina estará namorando uma mulher interessante. Como Conseguir uma Namorada. Você pode até achar que conseguir uma namorada é uma tarefa hercúlea, mas não é bem assim! Não desista. Comece por conhecer mais garotas em grupos de estudos, eventos e por meio de seus amigos. Em seguida, seja... Melhores simpatias para arrumar namorado rápido. Existem várias simpatias para arrumar namorado rápido, cada uma com um procedimento. Aqui você vai conhecer apenas as melhores disponíveis, para aumentar as chances de conseguir alcançar o seu objetivo. Conquiste de uma vez por todas um namorado e seja feliz em um relacionamento amoroso. A linguagem corporal é fundamental para você arranjar uma namorada rápido, porque ela mostra sem palavras como você é. E as mulheres são extremamente observadoras, você já deve ter percebido isso. Então, não tente se mostrar quem você não é, mas aposte na linguagem corporal a seu favor. 2 – Cuide de sua saúde – como conseguir uma namorada Também é muito importante cuidar da sua saúde.Você deve aparentar estar saudável, isso atrai bons olhares. E não vale somente para procurar uma namorada, mas também para ter uma boa qualidade de vida. Então, se este é o seu desejo no momento, confira neste artigo como conseguir uma namorada em pouco tempo, usando 7 técnicas infalíveis de conquista.. Como arrumar uma namorada rápido em 7 passos. Em primeiro lugar, saiba que uma gata não vai cair do céu, ou seja, você precisa se mexer para encontrar alguém interessante. Como faço para conseguir uma namorada Como faço para conseguir uma namorada? Conseguir uma namorada não é tão difícil como muitos penam. Muitas vezes, o que complica é a forma de abordagem dos homens, totalmente errada, e que pode suscitar mais repulsa do que atração. Como eu disse na introdução, provavelmente existem milhares de maneiras de conseguir uma namorada. Mas o que se segue são principalmente coisas sobre as quais você precisa deixar claro, e que são quase inevitáveis se você estiver procurando por um relacionamento feliz. Como conseguir uma namorada rápido? 0. anônimo 666 10/04/2018 20h23. tipow eu tenho 19 anos não tenho amigos, sou sozinho. jogo futebol, mas como eu sou muito timido as pessoas acham que sou gay.. o que fazer? como arrumar uma garota super rápido? ah e eu ate consigo fazer amigos mas logo eu consigo arruinar e perder a amizade ... o que faço?

Uma ajuda aqui, /r/ desabafos.

2020.09.14 03:19 cnt_d_jgr_fr Uma ajuda aqui, /r/ desabafos.

Já pensei em fazer este tipo de post várias vezes antes, nunca seguia em frente, dessa vez decidi publicar. Já moí e remoí inúmeras vezes como começar, e escolhi esse jeito que foi diferente de todos os outros que pensei. Desculpem, eu escrevo muito, e não sei se vocês irão ter paciência de ler tudo. Se sim, obrigado;
É difícil saber onde começar, mas provavelmente deve ser pelo mal raiz: A depressão. Eu convivo com ela e a ansiedade já fazem anos e anos. Eu desde criança fui alegre, esperto, inteligente, (bem acima dos demais ao meu redor, que me cedia elogios de todas as partes) mas no geral, normal como qualquer um. Eu não sei se vou conseguir descrever todo o processo, mas a partir do final da adolescência se não me engano isso começou. No começo meus pais não ligaram muito e nem eu, mas com o tempo, foi piorando. Fui perdendo o gosto por coisas que sempre gostei, não tinha mais graça jogar video game que desde criança eu o fiz (e hoje em dia tenho inglês de nível avançado que aprendi como auto-didata) ou assistir alguma coisa de comédia, seja de qual tipo fosse. Hoje em dia é raro. Eu deixei passar e ela nunca ficou tão ruim, achei que não iria piorar, agora ela tomou conta de uma maneira que eu não consigo sentir. Eu acordo, levanto, como, sigo o meu dia, mas pareço um robô na maioria das vezes.
Existem circunstâncias que pioraram, eu sempre fui o risonho que fazia piadas e gracinhas, mas desde cedo tive a visão eu sabia que caso o palhaço saísse de cena o show iria acabar, e assim foi. Minha família sempre foi normal pra todos, mas entre 4 paredes ninguém sabia o que se passava, desde criança meu pai bebia, e isso causava brigas, xingamentos, até agressão acontecia. Acabou minha época de se palhaço quando a depressão piorou e a família agora tá pior que nunca. Minha mãe seguiu sempre com ele, acabavam as coisas ruins e tudo voltava ao normal. Ele nunca teve muita força emocional, quando acabava o dinheiro, ou aparecia uma dificuldade, queria afogar tudo no álcool. Minha família também nunca foi de sair, e eu sempre gostei de ler, de exercitar a mente de tudo que é jeito, e não saí ou fiz amigos quando me mudei. Cada um tem seus hobbies, eu sempre escutei isso e achei que apesar de ruim não era tão debilitante. Porém os anos passaram, passaram, passaram, hoje no meio de tantas crises (como a de 2008 por exemplo) meu pai já não tem mais emprego, e com todas as coisas que aconteceram voltou a beber. Problemas, dívidas, brigas, polícia, mais brigas, mais dificuldades, e tivemos que nos mudar pra uma cidade pobre e pequena. Minha mãe pensou que iria melhorar a nossa situação, resultado: Não melhorou.
Eu não tenho emprego (e duvido que encontraria alguém que me cedesse uma vaga, pra ter que toda hora tirar licença por causa de ansiedade) e os tratamentos que fiz nunca deram certo (só me deixaram pior) o que não é surpresa já que nunca morei em uma casa com uma família "normal" tem anos e meu stress está absurdamente alto. Não me dou bem com ele mas ainda convivemos todos juntos vivendo às custas do mesmo. Ele sabe que tem que nos ter perto pois a família mesmo não quer ele na casa deles. Minha mãe tbm n tem condições de trabalhar, meu pai voltou com a bebida e só deu uma trégua porque tem medo da pandemia mas ainda assim tem os dias de desespero dele que acha que se encher de álcool vai fazer os problemas sumirem, mas não sumiram e trouxeram um outro: Uma úlcera forte que é outro motivo pra ele beber e tentar mascarar a dor enorme e que recusa a tratar no médico mesmo com meu tio e tias querendo ajudar.
No presente, estou com 29 anos, nunca tive uma namorada, uma companheira, alguém pra dar e receber suporte nos momentos bons e ruins, isso porque sempre tive vergonha e achei que podeira acontecer como nos desenhos ou na TV e ter alguma que acabasse se declarando pra mim e não me fazer passar por isso. Nunca aconteceu. As pessoas dizem que ser BV e/ou Virgem são coisas impostas pela sociedade e não nos devemos se sentir mal por isso, mas a solidão dói. Dói muito. À noite é horrível, HORRÍVEL. Nem pra ser como uma dessas pessoas que arranjam uma mulher burra ou que também só tem interesse em um relacionamento rápido pra não ficar sozinha eu tenho sorte, parece que é uma opção inexistente e isso me deixa em um desolamento enorme. Sempre me achei feio ou estranho, fiz uma auto-reflexão e vi que não sou, e que existem casos piores, mas ainda assim todos ao meu redor estão conseguindo alguém, casando ou namorando ou movendo a vida pra frente.
Recentemente comecei o noFap porque vi vários benefícios que todos que tentam reportam. Após alguns dias tive um dos primeiros benefícios e senti mais disposição, mais confiança, só de sair na rua por causa de um compromisso consegui atenção de uma vizinha que morava aqqui por perto sendo que ela só me cumprimentava casualmente. Um dia depois e seguinte, voltou uma depressão, mais forte, sem vontade de fazer nada, sem apetite, e nenhum dos benefícios continuaram. Pretendo seguir mais, só que vai ser difícil porque minha cabeça tá MUITO mal.
Enquanto tava digitando esse post, no dia que pensei em mandar e não mandei, tava tão desesperado que tive pensamentos de acabar com tudo. As outras vezes que tive isso estava em situações ruins também em todos os lados. Pra piorar agora tem essa pandemia: Mesmo que melhorasse da D + A, não há empregos. Mesmo se quisesse ir pra algum lugar, há o risco. Estamos sobrevivendo da aposentadoria e de auxílio, e o dinheiro está acabando além do fato de que os problemas alimentam uns aos outros. Minha época de maior disposição física e maior apetite pra relacionamentos passou, e o tempo continuou correndo vertiginosamente. Queria perguntar à vocês o que eu poderia fazer pra tentar sair dessa, porque dessa vez tá muito difícil. Posso responder mais perguntas caso tenham alguma.
submitted by cnt_d_jgr_fr to desabafos [link] [comments]


2020.08.27 21:34 Ultimecia- Desabafo sobre pensamentos ruins que me atormentam (+18)

Ola pessoal, depois de muito pensar, e me perguntar se deveria fazer esse texto, venho aqui pra desabafar um pouco, pois não tenho um ciclo social muito grande pra o qual eu poderia contar essas coisas, e as poucas pessoas que eu poderia contar, Não seriam diretas e sinceras. Como o texto também é bem constrangedor, acredito que um leve anonimato deve me ajudar a se expressar melhor.
Marquei o texto como +18 porque usarei palavras bem explícitas aqui para melhor entendimento, porém, ciente das diretrizes da comunidade, caso o texto seja ofensivo ou afete alguém menor de idade, gostaria que fosse removido o mais rápido possível, me desculpem se acabar sendo ofensivo ou algo do tipo, espero não ultrapassar nenhum limite aqui. Mas vamos lá.
A 3 anos atrás eu conheci uma garota do meu antigo emprego (tenho 23 anos, isso não fere meu anonimato). Essa garota era perfeita e muito fofinha, tinhamos a mesma idade e nos demos super bem, estávamos solteiros, e depois de 6 meses nos conhecendo começamos a namorar. Namoramos por uns 2 anos, e nesse tempo aproveitamos muito a companhia um do outro, foi tudo perfeito, sem brigas e sem desentendimento, até que começamos a nos conhecer de mais. Sempre fui um cara reservado, antes dela só namorei uma pessoa, por 3 anos, minha única experiência sexual foi com essa pessoa, e após o termino nunca me relacionei como mais ngm, porém, essa garota que conheci no meu trabalho (vou chama-la de Yomawa, nem sei o pq :v) ja havia tido muitos outros caras no passado. Conversando com ela, descobri que fui o primeiro namorado dela, porém, ela ja havia ficado e tido aventuras adultas com mais de 15 caras no total, alguns em festas, faculdade, e todo o resto, com alguns mais de 5 vezes, ja havia feito menage e outros desejos sexuais que realizou por curiosidade. Confesso que me surpreendi, uma garota tão fofinha e delicada ja ter passado por isso me abalou um pouco, e depois que eu fiquei sabendo dessas coisas, nosso namoro desandou. Comecei a criar uma espécie de paranóia na cabeça, de nunca ter dado um prazer tão bom pra ela em nossas relações na cama. Eu tinha alguns fetiches e curiosidades, e ela, ja havia realizado todos com os caras anteriores. Com o tempo essa paranóia de me sentir insuficiente foi tomando conta de mim, até que cometi o erro (ou não) de perguntar se eu ja havia sido o melhor com ela na cama. Ela disse que não, disse que avalia certos pontos nas relações, como preliminar, oral, beijo, penetração, vibe e etcs. E que desses pontos, eu tinha sido o melhor em preliminar e sexo oral, maaaaas, um dos piores em penetração, disse que ja tinha se relacionado com outros caras que proporcionaram um prazer enorme pra ela, e que achava difícil eu superar. Uma coisa que amo nela, é a sua sinceridade, eu odiaria sentir que estou sendo enganado, e a verdade apesar de doer, é o que eu prefiro. Desde então eu tenho me empenhado e dado o melhor de mim, para "ser o melhor" de cama. Eu nunca tive esse orgulho macho (como prefiro chamar) de querer ser o mais fodao em tudo e bla bla bla, mas isso tem me atormentado, e tem me impedido de ser feliz.
No começo ela acreditava que eu poderia ser o melhor na penetração e bla bla bla, mas agora ela pede pra eu não criar esperanças ahebhahehe que do jeito que estou (estou dando o maximo que consigo e fazendo treinos constrangedores de desempenho sexual no meu quarto) posso levar quase 1 ano pra conseguir ser o melhor do melhor. E isso tem me atormentado tanto que estou ficanso triste de vdd, me sinto insuficiente, quando estamos juntos e vejo ela gritar e gemer de prazer na cama, penso logo : - Se ela se contorce desse jeito comigo, imagina com o cara que já comeu ela melhor. Aaaaaaaaahh é horrível, me desculpem pela forma de falar "comeu" mas não consegui pensar em algo menos machista. Imagina você namorar uma garota que diz "meu namorado não foi o cara que me comei mais gostoso, desculpa, estou sendo sincera".
Ela diz que não liga pra isso, que o que sente comigo nunca sentiu com ngm, que nosso amor é pfto, que eu trato ela como uma Deusa e isso motivz muito ela todos os dias, ela chora só de pensar em me perder, e de vdd combinamos em tudo. Gostos, musicas, animes, séries, jogos, ela é perfeita, e eu sou o cara que nem consigo dar um prazer suficiente na cama, me sinto ridículo por isso, mas penso que quando começamos a tranzar, ela tem uma expectativa de ser bom e maravilhoso, e acaba não sendo, ela acaba esperando que seja bom como os outros caras, e acaba não sendo. Ja imaginou ela ter aquele prazer como referência sempre que pensar em sexo ? E não no meu ? Eu não consigo ser eu mesmo desde que isso aconteceu, e me sinto tão mal que penso em terminar. Estou mt agressivo com as palavras e muito decepcionado comigo, esse relacionamento está me deixando mal e me fazendo sentir a cada dia insuficiente, e ela não tem culpa, nunca seria capaz de culpa-la por falar a verdade, é a qualidade que mais amo, mas estou perdido. O relacionamento é mt mais que sexo galera, mas sinto que a cada segundo que passa, os caras anteriores estão ganhando de mim, sei la, é como se eu estivesse perdendo (???) Estou paranóico, queria desabafar, penso em ir em um psicólogo ou sexólogo, mas não sei mais o que fazer, de vdd.
Me desculpem se ficou mt grande este desabafo, ou se acaba ferindo alguma diretriz ou algum menor de idade, pfvr excluam se for o caso :(((
Ass : O cara que não foi o melhor da sua namorada
submitted by Ultimecia- to desabafos [link] [comments]


2020.08.17 05:18 DemonFranco Vivi por 20 anos preso em minha própria melancolia.

Olá, comunidade do Reddit! Esse é meu primeiro post aqui :) Meu intuito neste, especificamente, é conseguir pelo menos um pouco de calor humano (metaforicamente, claro) pois sinto que minhas feridas nunca foram cicatrizadas, desde a primeira delas.
Bom, pra começar minha história: minha infância foi marcada por conturbações no casamento de meus pais. A diferença de personalidade dos dois gerou brigas cada vez mais pesadas e incontroláveis. Chegaram ao ponto que já não existia mais companheirismo e meu pai começou a beber e trair minha mãe. Me recordo vividamente de cenas terríveis, como ele estar horas no banho a horas e quando entro pra ver se está bem, na verdade ainda estava de roupa e dormindo no chão molhado. Ou até momentos de alteração violenta onde, por medo, eu me trancava no quarto e ficava debaixo da coberta até o dia seguinte depois que ele saía pra trabalhar. Nunca fui violentado fisicamente (minha mãe, infelizmente, sim), mas acho que meu pai estava tão perdido dentro de si que esqueceu que tinha um filho, então eram raras as vezes que sequer trocávamos olhares ou palavras, e quando acontecia era frio e passageiro. Pra tornar tudo ainda mais tenso, nossa situação financeira nunca foi boa: vivíamos peregrinando entre aluguéis mais baratos, acumulando prestações não pagas e até mesmo alimento chegava a ser escasso. Minha válvula de escape eram meus avós, que moravam na mesma cidade e sempre me acolhiam com mimos. Meu avô, entretanto, morreu quando eu tinha 9 anos e isso foi um impacto enorme que passou despercebido: minha avó entrou em uma depressão que foi negligenciada até o ano passado (2019), quando finalmente tomou a atitude de visitar um psiquiatra e foi diagnosticada. As brigas entre meus pais cessaram, mas isso foi ainda pior pois os problemas que já existiam continuaram a crescer em silêncio. Eu não recebi diagnóstico algum, até porque sempre fugi dos psicólogos em que me jogavam, mas o efeito também foi claro em mim: emagreci quilos em semanas, já não tinha mais vontade de fazer a mais simples das tarefas como cortar cabelo ou sair na rua, me tornei cada dia mais introvertido. Alguns anos depois, meus pais enfim se separaram, mas antes me deram duas irmãs e um irmão (as únicas pessoas a quem posso dizer com sinceridade sentir amor incondicional). A esse ponto, eu me vidrava em videogames e mentia pra mim mesmo sobre a realidade que eu vivia e não queria aceitar.
Essa foi, digamos, a "primeira temporada" da minha história. A segunda foi marcada pela péssima e mal executada decisão de me declarar a uma garota por quem, desde moleque, fui apaixonado, mesmo sendo que não tínhamos nem amizade. Tudo o que eu tinha era um sentimento inexplicavelmente forte, e nenhum tipo de habilidade social pra sequer chegar nela com um simples papo agradável. Porém, ela aceitou meu pedido de namoro. E isso me destruiu, porque na verdade ela queria dizer não, só não disse por """"medo de me magoar"""" e revelou isso depois de 2 anos me iludindo com histórias do tipo "meus pais não me deixam namorar, tenho que focar na escola", etc. Enfim segui minha vida tentando, sem sucesso, superá-la. Felizmente, apesar de introvertido, dois de meus primos viraram meus amigos próximos e isso me ajudou a segurar todo aquele peso de sentimentos que eu não compreendia e mal sabia que tinha. Vivemos anos sendo os nerdolas da escola, sempre juntos e com mais ninguém, até que um desses primos se incomodou com esse estilo de vida (e com razão) e começou a fazer novas amizades; eu e meu outro primo resistimos a isso, o que o separou da gente. Continuamos sendo introvertidos até o penúltimo ano da escola, quando ele também se afastou de mim aos poucos sem razão aparente (hoje, depois de conversarmos, eu sei que era porque não tínhamos mais muito a ver como antes). Meu outro primo, agora extrovertido, se adequou à grande turma da escola facilmente e não demorou pra ficar popular - felizmente pra mim, isso não subiu à cabeça dele e continuamos ótimos amigos até hoje. Ainda nessa época, conheci na internet uma garota de São Paulo que, com uns bons meses de conversa, acabou desenvolvendo sentimentos por mim; eu, carente e introvertido, abracei isso com todas minhas forças e namoramos virtualmente, com vários vai e volta, durante 3 anos. Apesar de que eu me sentia melhor em ser desejado por alguém, essa garota também tinha sérios problemas com depressão e no final só puxamos o pior um do outro. Minha única conquista nessa época foi meu primeiro emprego, da onde tirei dinheiro para ir visitá-la.
E é aqui que eu considero ser a "terceira temporada". Viajei pra SP e passei quatro dias junto com a garota que por 3 anos desejei somente por fotos e vídeos. Mas quando voltei pra casa as coisas já não eram as mesmas: ela só me dava respostas evasivas e ríspidas, parecia até mesmo ter raiva de mim, sendo que, em minha visão, tínhamos conquistado outro nível em nosso relacionamento. Mas ela obviamente não pensava assim e terminou tudo com a seguinte frase: "Estou tirando as pessoas tóxicas da minha vida". Foi esse o estopim pra eu decidir ser extrovertido e começar a viver fora de meu quarto, e eu tive resultados rápidos: fiz novas amizades e até comecei um novo namoro, agora presencial com uma garota que realmente me admirava. Porém, fui perceber tardiamente que pouquíssimas dessas amizades me faziam bem - a mais danosa delas foi a de um feiticeiro três vezes mais problemático do que eu. Como sempre fui uma pessoa muito compreensiva e aberta, relevei seus defeitos gritantes e mantive a ''amizade'' pelo conhecimento esotérico que ele passava (por mais que grande parte deste conhecimento fossem delírios de grandeza de um feiticeiro egomaníaco). Depois de dois anos meu próprio corpo começou a recusar a presença desse sujeito, que insistia sempre em me acompanhar mesmo quando não era conveniente: comecei a ter constantes dores de cabeça quando estava em sua presença, meio que como um aviso do que já era óbvio: aquele cara não prestava. Aos poucos comecei a me aproximar mais da minha namorada e outros amigos como método de me afastar do sujeito, e curiosamente (ou não...), essas pessoas foram abruptamente saindo da minha vida, incluindo minha namorada (agora ex), que era a pessoa em quem eu mais confiava e me dedicava. Ainda inocente e o chamando de amigo, nunca imaginaria que ele poderia ter relação com tudo aquilo, mas não parou por aí: depois que a poeira abaixou e eu consegui superar toda aquela maré estranha de azar, ele ainda usou o nome de minha deusa pra me iludir e usar meu corpo (sendo essa deusa relacionada ao luxo e ao sexo, era um contexto perfeito pra ele). Eventualmente descobri que não fui sua primeira vítima, e toda a imagem de sacerdote sábio que ele outrora passou, do dia pra noite, virou nada mais que um charlatão desesperado. Essa foi a separação mais problemática de todas que eu já tive, pois enquanto eu me afastava cada vez mais, o ego ferido do sujeito nunca deixaria tal afronta passar em branco, e recebi cargas de energia pesada nos meses seguintes. 2019/2020 caprichou muito bem no quesito de desgraças, pois minha mãe, extremamente cabeça dura e ignorante, agora se recusa a trabalhar fichada mesmo sendo que tem três crianças pra sustentar, meu pai passa por cirurgias seríssimas pois contraiu câncer maligno no fígado e isso não deixou de atingir minha vó ainda viva, que tem problemas de coração e toma mais de 300 remédios por mês (palavras dela).
E agora aqui estou eu, solteiro, enganado pela maioria daqueles que chamei de amigos, com uma provável depressão mal resolvida e uma família abalada desde os primórdios de meu nascimento. Felizmente não tenho problemas com autoestima, o que já ajuda muito, mas ao mesmo tempo não tenho motivação em fazer nada que não seja sonhar com uma vida simples, leve e longe de tudo daqui. Hoje, especificamente, está sendo um dia difícil pois minha ficha caiu e tomei consciência da minha situação - chorei muito, escondido. Mas decidi fazer algo a respeito por mais simples que seja: criei uma conta na Twitch.tv pra criar conexões com outras pessoas enquanto jogo, e também este post como o maior desabafo que já fiz na vida. Na verdade, só de ter escrito tudo isso e lido logo após já estou melhor. Mas ainda me sinto sozinho e desamparado, não consigo buscar ajuda com meus familiares pois nunca fui de me abrir pra eles, nem ajuda profissional por falta de dinheiro, e depois de todas essas quebras de confiança fiquei extremamente seletivo a quem eu quero do meu lado, sobrando dois/três amigos com quem posso conversar (e mesmo assim somente meu primo que convive comigo desde criança sabe de toda minha história).
Quem estiver disposto a trocar experiencias e conversar, simplesmente por conversar, ficaria muito grato!
Gratidão a todos que, mesmo não enviando uma mensagem, leram até o final com atenção.
Blessed be. :)
submitted by DemonFranco to desabafos [link] [comments]


2020.07.24 19:45 TheGoldenMorn Me sinto um peso morto e procrastinação me consome

Já acompanhava esse sub faz um tempo, mas decidi colocar pra fora depois de ver uma situação parecida com a minha aqui. Bom, basicamente eu me sinto um 0 a esquerda em quase todos os aspectos da minha vida. Vou tentar resumir a história, apesar de ser longa, pra depois falar de situações mais específicas em que vivi.
Desde que me entendo por gente, fui um procrastinador. E a única coisa que me fazia não procrastinar eram crises de pânico que me causavam noites de insônia, ansiedade, perda de apetite e todo o pacote de crises desse tipo, geralmente tudo isso acontecia na escola. No término do 3º ano do EM, aprovação do vestibular e entrada na faculdade passei a ter crises surrealmente fortes, passei por tratamento psiquiátrico e psicológico, comecei a tomar medicação. Bom, eu me senti melhor, de verdade. Parei de ter crises de pânico, parei de ter noites de insônia, conseguia me manter mais calmo. Mas, a procrastinação continuou. E isso foi me afetando de outras maneiras. Eu tinha uma namorada desde o Ensino Médio, no final da faculdade ela me deixou quando conseguiu avançar na carreira. Não a julgo, quero dizer até julgo um pouco, mas eu não estava construindo nada. A procrastinação agora agia sem um freio. Antes, regulada pela ansiedade, eu parecia combater um monstro com outro, agora eu simplesmente pareço não conseguir controlá-la. E isso me atinge demais. Bom, após isso tudo, comecei um outro relacionamento e minha vida continuava indo de mal a pior: briguei feio com meu pai, fiquei expulso de casa umas semanas, até capotei o carro e dei PT (um dos motivos pra briga com meu pai). Pra fechar com chave de ouro, minha namorada engravidou. Eu sempre quis ter filho, sempre me vi como um pai, sempre amei crianças, mas o timing foi o pior possível. Minha família me apoiou muito, eu e meu pai fizemos as pazes, a família da minha namorada também, na medida do possível (e eu entendo o lado deles, afinal eu era basicamente um cara que vivia de bicos que engravidou a filha deles num relacionamento recente).

Passado o susto, comecei a estudar pra concurso já que minha área de formação não tinha perspectiva a curto prazo e a procrastinação me consumia diariamente. Tentei elaborar estratégias, mas sempre fugia das obrigações. Tentei fazer o amor pelo meu filho me motivar e me motivou, mas não o suficiente para que eu conseguisse a aprovação. Minha namorada e eu começamos a morar juntos e passamos a brigar MUITO. Meu filho nasceu e eu nunca amei tanto uma pessoa na vida. Foi o momento mais sublime que eu poderia esperar receber como um ser humano. Inspirado nisso, comecei um emprego intermitente horrível que me pagava muito menos que um salário mínimo e ainda me fazia levar bastante trabalho pra casa. Saí depois de um ano quando começaram a atrasar os salários. Foquei num concurso e passei muito bem, mas exigia teste físico e eu estava bem acima do peso (princípio de obesidade). Meus pais se ofereceram pra pagar um personal trainer, mas era caro e tentei fazer exercício na academia. Não consegui bons resultados, comecei a ter crise de ansiedade e aceitei o personal. O personal disse que eu estava muito em cima da hora pra começar com ele, mas podíamos tentar. Comecei a ter dores, tonturas e fisgadas o suficiente pro personal dizer que não daria, que eu poderia ter um infarto ou algo do tipo se continuasse nesse ritmo. Nisso, a mãe do meu filho me deixou. Vivemos com guarda compartilhada e, apesar de ver meu filho sofrendo muito de saudade de mim ou dela, sei que está melhor assim. A relação se tornou mais sadia, muito mais. Continuei tentando focar pra concurso, QUASE passei em um muito bom aqui na minha cidade, mas não consegui. Depois disso, veio a pandemia. Não tenho concurso pra fazer, não tenho bicos pra arrumar dinheiro, basicamente recebi o auxílio emergencial e tô tentando recuperar meu fôlego diário pra estudar. Eu amo ser pai do meu filho, participo de tudo o que posso na vida dele, me sinto uma pessoa útil e boa quando tô com ele. Eu sei que minha família se esforça muito por mim, por me sustentar, me ajudar a sustentar meu filho. Mas, ainda assim, não consigo me focar pra estudar ou arrumar um emprego. Eu não entendo, sabe. AHHHHH...

Tirando essa timeline, aqui vai alguns desabafos: Eu desenvolvi depressão nos últimos anos, acho que dá pra ver pelo meu texto. Tinha deixado de ir pra psicólogos desde 2014 e voltei recentemente, antes de terminar com a mãe do meu filho. Passei a tentar combater meus problemas mais ativamente como a psicóloga aconselhou, coisas como: tinha problemas de auto-estima por conta do peso, ficava muito tempo parado em casa, me comparava demais com outros, então desde que "quase" passei no último concurso, sabendo que poderia ter uma recaída na bad, foquei em exercícios físicos, uma vida mais saudável e dieta. Consegui perder 8kg. Corria/caminhava 6km quase todo dia. Veio a pandemia, perdi a psicóloga (o plano não adaptou pra consulta online), parei de correr fora de casa, tentei adaptar pra me exercitar em casa mesmo, mas não era a mesma coisa. Não tinha mais concursos pra estudar, não tinha mais pessoas pra interagir. Eu moro numa cidade que a pandemia está começando a "cair" depois de ter atingido o pico, então meus pais começaram a chamar pra fazer exercícios aqui na rua de casa mesmo, sem muito movimento. Tô tentando voltar a estudar pra concurso, mesmo sem perspectiva de reabertura. E, não sei, eu queria fazer diferente. Já são 27 anos da minha vida comigo sentindo isso. Queria saber como combater. Eu quero poder sustentar meu filho, ter independência financeira... Minha família é classe média, mas sempre vivemos apertados. Mesmo assim, eles sempre tentaram me ajudar, mesmo eu sendo uma pessoa complicada. Sei lá, eu sinto como se tivesse algo de errado comigo, como se eu fosse o mais próximo de "amaldiçoado" geneticamente.

Sabe quando capotei o carro? Cara, eu não tinha bebido, eu não dormi no volante, eu não estava distraído, eu não estava dirigindo rápido, eu estava simplesmente andando a 60km/h numa reta, meu pneu estourou, eu senti um solavanco, tentei frear, o carro girou na pista e eu capotei algumas vezes. Saí incólume, só com um arranhão num braço, mas sem entender absolutamente nada e com o carro dando perda total. Virou até uma piada interna da família porque ninguém acredita veementemente na minha versão. Recentemente, comecei a me relacionar pela internet com uma garota e no começo, como toda relação costuma ser, foi incrível, mas agora já sinto o peso de tudo isso que vivi novamente. Ela é muito bem de vida, o pai dela é bem rico e, mesmo eu sempre deixando claro das minhas condições financeiras e ela procurando ser compreensiva, eu sei que uma hora isso vai pesar na relação. Sempre pesa. Sei disso porque já me aconteceu duas vezes. Não é interessante ser alguém fracassado na vida. Ainda mais sendo homem (e isso eu não digo falando que homem sofre mais, estou querendo dizer que até nisso o machismo atinge os homens quando você é visto como sendo "sutentando" pela companheira). Ainda mais sendo pai.

Eu nem falei tudo que queria, mas vou parar agora porque o texto tá surrealmente grande. Sei lá, na minha cabeça ter narrado essa timeline bagunçada pareceu importante. Peço perdão por isso. Agradeço só de alguém ler. Alguém aí já conseguiu combater esse mal que me assola? Força a todos.
submitted by TheGoldenMorn to desabafos [link] [comments]


2020.06.30 18:16 marvinpls achava que ter ranço de sogra era só meme

pois descobri que odeio a minha, AQUELA FILHA DA PUTA.
Aconteceu agora pouco mesmo. Estava sendo um dia feliz, apresentei meu TCC hoje e compartilhei esse momento único com a minha namorada. Foi super cedo e não tinha como chamar convidados de última hora, então liguei pra ela pra conversar sobre ideias diversas após a apresentação.
Fizemos mais ou menos 1hr e meia de call que, como qualquer casal feliz um com o outro, passara tão rápido quanto 10 minutos de conversa.
Ela trabalha bastante e não tem dinheiro pra quase nada. Parte do salário dela é pra pagar conta de casa ou as próprias contas dela, que são de necessidades mesmo. Se ela gasta 10 reais que só sobrou no mês, provavelmente é uma grana que vai fazer falta no próximo, e isso me deixa muito triste pois eu mesmo não consigo ajudar as vezes pq tb tô desempregado.
Ontem ela esqueceu o carregador do cel dela no job e precisaria ir hoje de manhã buscar pra conseguir trabalhar (ela dá aula de inglês online, as vezes presencial pois em casa a internet é instável) e parece que simplesmente a manhã legal que tivemos foi pro ralo quando a mãe dela começou a xingar e gritar com ela simplesmente por ela ter que ir no trabalho buscar o carregador. Fiquem com o diálogo exato de como começou:
(rola mais um pouco de gritaria)
e ela desligou a chamada.
Eu namoro essa menina tem 4 anos, isso aconteceu várias vezes na verdade. É bastante complexos pois, a mãe dela claramente tem problemas psicológicos. Não somente, mas o pai também, e ela meio que vive nesse inferno tentando agradar os dois e pagando as contas, mas não parece que há um mínimo de carinho recíproco. Ela tem uma situação muito difícil e os pais trabalham numa praça da cidade vendendo algumas coisinhas, mas devido ao corona, as vendas tão muito baixas.
Ela quer mudar de vida, eu quero mudar com ela também. Temos um sonho de morar junto o mais rápido possível pra nos livrarmos desse problema. Obviamente não é largar os pais, mas pelo menos manter distância desse comportamento tóxico que deixa ela cada vez mais pra baixo, e já afetou muitas áreas da vida dela e até mesmo no nosso relacionamento.
Enfim. SOGRA FILHA DA PUTA. Que ÓDIO. Isso sem falar o descaso dela com a filha. Eu e minha namorada juntamos nossos ingressos de cinema desde que nos conhecemos, é nosso "tesouro pessoal", e cês acreditam que a mulher já jogou "por engano" fora? Ela se arrependeu e catou do lixo depois... mas pra vcs verem que ela não tem respeito nenhum com mexer e remexer o quarto dela como bem entende, além de querer mandar em tudo, arrumar problema com qlqr coisa... Teve um dia que eu escutei 5m de gritaria pq minha namorada havia deixado a janela do banheiro aberta... Não era nem janela da sala que sei lá, poderia entrar mosquito (?) Era a porra da janela do BANHEIRO.
Minha mina é muito dedicada no que faz, cês tinham que ver ela dando aula pros pirralhinho online. Uma das melhores professoras que já vi sem enviesamento. Ela inclusive já foi orientada à diminuir a qualidade das aulas delas pois de acordo com a coordenação, "não precisava visto que você trabalha muito e precisa tá sempre fazendo muitas aulas, é melhor diminuir a qualidade dos slides/aula e passar algumas revisões pra que renda mais conteúdo". Infelizmente parece ser um fardo que vamos carregar por um tempo ainda, pois sem muitas previsões certas de sair de casa ainda.
Ah, ela tá com ideia de fazer aula particular, mas tem sido foda arrumar aluno. Ela já trabalha pra 2 curso de inglês mas pagam tão bem quanto 1 pastel e 1 caldo de cana.
Enfim, é isso.
submitted by marvinpls to desabafos [link] [comments]


2020.06.30 18:05 Umbixofeio "Pare de bater no meu teclado, criança infeliz!"

Oi! Lubinha, Editores maravilhosos, turma incrível, gatas sagradas e falecidos papelões... Meus amigos pediram para eu contar essa história pra vocês de nice parents. Mas antes um pouco de contexto: eu passei num vestibular bem difícil de SP (sou baiano) e eu e meus pais estávamos muito felizes e animados por conta disso, porém a questão da mudança, foi um verdadeiro balde de água fria, pois meus pais, não são aposentados, meu pai é taxista e minha mãe tem um conjunto de lanchonetes em Salvador, ou seja, se eles se mudassem comigo eles iriam que ter de começar tudo de novo...
Pois bem, como solução para isso, juntei uns dinheiros para conseguir pagar o aluguel de um apartamento simples pra mim, mas eu consegui melhor, adquiri a oportunidade de morar numa casa de uma família, eu tinha de pagar um aluguel levemente maior que o apartamento, mas pelo menos tinha uma localização melhor e o ambiente acolhedor.
Bem... Conversei com meus pais e por fim fui para São Paulo, minha despedida foi beeeem difícil, mas senti que estava dando um grande passo na minha vida. Pousei em SP e o pai da família estava lá me esperando, vou chamar-lo de Daddy(kkkk). Então, ele estava de carro, o que foi bom, pois no caminho ele me disse quem eram os componentes da família, duas crianças gêmeas e a esposa dele. Os filhos serão, anjinho, diabinho e a esposa vamos chamar de Lucy(Lúcifer). Além disso, me dizer também as regras, que era sobre barulho, festas e afins, eu teria meu próprio quarto onde eu poderia personalizar como eu bem entender, mas que falasse com ele antes sobre as mudanças, as minhas únicas obrigações(fora o aluguel) seriam basicamente, comprar os meus lanches, (pois o almoço, jantar e café da manhã eles iriam dar ser problemas), fazer algumas compras e jogar o lixo fora quando necessário, não se engane, eu gosto de fazer compras, nem tanto de jogar o lixo, mas aquelas "obrigações" estavam ótimas para mim!
Ok… Após esse contexto enorme, posso falar sobre como era cada um dos componentes da família e depois posso contar o caso isolado, que me fez sair daquela casa. Bem, o Daddy, era muito gente boa, atencioso, gentil, gostava de esportes, tanto digital como físico (o que fez a gente se dar bem no começo), e sempre me ajudou muito nas matérias da faculdade. A Lucy era literalmente o contrário do marido. O anjinho era igual ao pai e adivinha a quem o diabinho se parecia?
OK! Agora vamos para história, senhores, após ter passado alguns bons meses naquela casa, o clima estava bem estável, tinha alguns altos e baixos com aquela moça, mas nada de mais, não até o seguinte momento.
Eu havia comprado, o meu primeiro PC gamer, e eu realmente gostei mesmo, não só por poder jogar o que quisesse, mas também para não atrapalhar o momento família deles, pois assinei ficaria dentro do meu quarto dentro do quarto, sem atrapalhar ninguém. Um dia desses das minhas jogatinas, a Lucy, pediu que eu fosse ao mercado para que eu comprasse algumas coisas para a casa, como disse, não me preocupo com isso, então peguei a lista, me arrumei e fechei a porta do meu quarto, para que ninguém entrasse.
No meio das minhas compras, me deparo com um produto que estava em falta, que era mistura para bolo de chocolate, então liguei para saber se poderia comprar de outro sabor ou outra marca. Após um tempo, Lucy atendeu e disse: — Pode comprar da marca... bla bla (ouvi o meu jogo de fundo) — Senhora Lucy, os seus filhos estão no meu quarto? — Sim, algum problema? — Não nenhum, mas peça que não mexam no meu jogo, pois eles não vão saber jogar... — Eles são bem grandinhos, acha que meus filhos não são capazes de ganhar nesse jogo idiota? — Senhora eles têm apenas 5 anos, acho difícil que eles entendam como se joga R6. — Mas eles estão jogando, apenas faça suas comprar e os deixem em paz! (Ela desligou na minha cara)
Deixei as compras lá, peguei o primeiro táxi na saída do mercado e fui para casa o mais rápido que pude.
Chegando lá, vi o diabinho quase que destruindo meu teclado de tanto socar ele e o anjinho na minha cama, sentado, enquanto a mãe falava: "Isso filho". Para o diabinho.
Horrorizado com a cena gritei: — Para de bater no meu teclado, criança infeliz! — Quem você pensa que é garoto? — O dono desse teclado? E de todo esse computador? Se eu tô mandando ele não mexer nisso, não é pra ele mexer! — Isso está na minha casa! Logo meu filho tem o direito de mexer! — Lucy esse computador foi comprado com meu dinheiro, não tô nem aí que está na sua casa, já que eu disse pra ele não mexer, se você tivesse o mínimo de bom senso, pediria para não mexer! Aproveitando que isso aconteceu, não quero ficar mais aqui não... — Já vai tarde! — Pior que vou mesmo!
Peguei meu celular e pedi um táxi, pedi para o meu amigo me abrigar por alguns dias, por conta desse indecente, ele concordou. O táxi chegou com o Daddy, que estava no trabalho, ele pediu para que eu reconsiderasse, mas eu já tinha decidido, por sorte não teve nada com meu computador ou meu teclado...
Depois daquele dia, passei um mês na casa do meu amigo, depois fui morar com minha namorada, estamos juntos desde então, beijos pra geral!
Obs: O marido se separou da esposa e o bonzinho ficou com o pai e o diabinho com a mãe, não foi por isso, eles já brigavam enquanto que eu morava. Mas é só isso que sei.
submitted by Umbixofeio to TurmaFeira [link] [comments]


2020.06.15 05:01 CrazyNectarine [+2000 WORDS] - Wall Of Brazilian Rage

A kind of copypasta/flamewar that I made in 2 hours.

[TEXT]
ESCUTE AQUI O SEU FILHO DA PUTA A.K.A. FILHO DE UMA BOA E GRANDE QUENGA A.K.A. FILHO DE UMA VADIA E ARROMBADA RAPARIGA A.K.A. CHUPADOR DE OVOS PROFISSIONAIS E DEGUSTADOR CONSTANTE DE ESPERMAS EQUINAS E CAPRINAS. SEU ESTUPRADOR DE CABRA E ACASALADOR DE MACACOS DO CARALHO, VOCÊ ACHA QUE PODE FALAR QUALQUER MERDA DE MIM PELA INTERNET E SAIR IMPUNE, SEU DESGRAÇADO? PENSE 2 VEZES, MOCINHA. ASSIM QUE VOCÊ EXPELIU ESSA COLEÇÃO FÉTIDA DE ADUBOS QUE VOCÊ TAMBÉM GOSTA DE APARENTEMENTE INTITULAR COMO "ARGUMENTO" OU "PALAVRAS", COMO O VERDADEIRO LIXO TÓXICO E RADIOATIVO QUE VC É, SEU ENDEREÇO JÁ ESTÁ SENDO RASTREADO, DIVULGADO PÚBLICAMENTE EM UM SITE DA DEEP WEB RECHEADO DE MANÍACOS, SERIAIS KILLERS, PEDÓFILOS, MEMBROS DE GANGUE, ASSALTANTES DE BANCOS E NAZISTAS QUE, MAIS TARDE, BATERAM NA SUA PORTA, E VÃO TE BOTAR DENTRO DO PORTA MALAS DE UM CARRO, TE LEVAR PRA UM LUGAR DESERTO, E TE TORTURAR PINGANDO VELAS, APAGANDO CIGARROS, CHARUTOS E BECKS DE MACONHA, JUNTAMENTE COM UM MAÇARICO NA SUA PELE, SEU MISERÁVEL DO CARALHO!!!! A SUA PELE VAI FICAR IGUAL A DO FREDDY KRUEGER DE TÃO QUEIMADA QUE ELA VAI FICAR!!!! NO FIM DA TORTURA, VOCÊ VAI SER AFETADO TANTO PSICOLOGICAMENTE, TANTO COMO MENTALMENTE, TANTO COMO FISICAMENTE E INTERNAMENTE, QUE VOCÊ NÃO VAI NEM LEMBRAR DE NADA DO QUE ACONTECEU PRA FALAR SUA POLÍCIA, SEU VERME RASTEJANTE INGERIDOR DE LAMA QUE MORA NO CHIQUEIRO, CHEIRADOR DE COLA DO CARAMBA!!!! VOCÊ MEXEU COM A PESSOA ERRADA, POIS IREI PENETRAR, DESTRUIR E DESABAR TODA SUA INFRAESTRUTURA LENTAMENTE MAIS DO QUE AS TORRES GÊMEAS DESABANDO EM 11 DE SETEMBRO DE 2001 APÓS OS 2 BOEINGS 747'S COLAPSAREM NELAS, Ô SEU FILHO DE UMA PROSTITUTA COM MARCA DE ESPERMA NO SOFÁ, BAFO DE ROLA JAMAICANA, AFRICANA E NIGERIANA NA BOCA CHEIA DE HERPES E PELE INFECTADA COM SIFILIS E CATAPORA, SEU MALDITO SALAFRÁRIO, EU VOU TE MASSACRAR TANTO, COMÉDIA, QUE EU VOU PARTIR SEU CÉREBRO NO MEIO COM UM CUTELO E SERVIR ELE PARA OS MEUS PITBUIS DE ESTIMAÇÃO QUE ESTÃO FAMINTOS E SÃO FORTES SUFICIENTES PARA DERRUBAR UM TOURO, SEU AMALDIÇOADO DO CAPETA, PESO MORTO NA TERRA E DESPERDICIO DE OXIGÊNIO NA HUMANIDADE E ESCÓRIA DA SOCIEDADE!!!! SUA MÃE ENFIA UM FUZIL KALASHNIKOV DA AK 47 NO MEIO DA BUCETA DELA, APERTA O GATILHO ATÉ A MUNIÇÃO ACABAR, E AINDA PEDE PRA ENFIAR UM TANQUE DE GUERRA NO CÚ DELA, SEU FILHO DA PUTA! SEU PAI É UM VELHO ESTÉRIL BARRIGUDO QUE TEM UM CAROÇO NO MEIO DO UMBIGO PARECENDO UMA AZEITONA, SUA MÃE É UMA ANÃ, CHEIA DE UNHA ENCRAVADA, UMA MORCEGO QUE ESPIRROU E ORIGINOU O CORONAVIRUS, TAMBÉM CONHECIDO COMO COVID 19, SEU AGENTE PATÓGENO CAUSADOR DE MICOSE DO CRL!!!! APOSTO QUE VC NEM TEM SANGUE CORRENDO NAS SUAS VEIAS, MAS SIM PUS OU LODO, SEU EX PACIENTE DE SANATÓRIO DO CARALHO!!!! PEDIR DESCULPAS PRA MIM NUNCA SERÁ O SUFICIENTE, SEU FILHO DA PUTA COM UMA CABEÇA DE ELEFANTIASE E TÚMOR PARECENDO ATÉ UM CAPACETE DE MOTO MISTURADO COM O DE ASTRONAUTA!!! VOCÊ TERÁ QUE CHEIRAR MINHA VIRILHA, LAMBER ELA, DEPOIS AJOELHAR NO MEU PÉ, LAMBER MINHAS FRIEIRAS, E BEBER MEU MIJO ENQUANTO DEVORA A MINHA BOSTA, TODA VERDE, COM RESQUICIOS DE MILHO, CENOURA E CAROÇO DE FEIJÃO DENTRO, SEU DESGRAÇADO. MAS AINDA ASSIM, NÃO SERÁ O SUFICIENTE. VOCÊ TERÁ QUE ANDAR PELADO NO POLO SUL, ANDAR AGASALHADO IGUAL UM ESQUIMÓ, CHEIO DE TOCA DE MEDUSA NO DESERTO DO SAARA, ESCALAR O MONTE EVEREST E O VULCÃO DO KILIMANJARO SEM EQUIPAMENTO NENHUM, IR NUMA FLORESTA DO CONGO, MATAR UM GORILA COM SUAS PRÓPRIAS MÃOS, TENTAR PULAR NUM VULCÃO E SOBREVIVER, SEU MOLEQUE, PIVETE E PIRRALHO DO CERTO!!!! VOCÊ NEM UM SER HUMANO RACIONAL DEVE SER, ESTOU CERTO, CABAÇO? VOCÊ DEVE SER UM ANUNNAKI OU UM HOMÚNCULO, SEU EXTRATERRESTRE MECÂNICO E ARTIFICIAL, ABOMINÁVEL, FRAUDE DO CARALHO!!!! TÁ ACHANDO QUE ISSO ACABOU???? ESTÁ COMPLETAMENTE ENGANADO!!!! VOCÊ É UM VIRGEM PERDEDOR QUE É TÃO FEIO E DESFIGURADO QUE SAIU NA RUA E O POVO COMEÇOU A TE PERGUNTAR SE ERA DIA DAS BRUXAS PRA VOCÊ "TÁ USANDO A FANTASIA DO PRÓPRIO DIABO", E VOCÊ, COMO UMA BOA MENININHA E LÍDER DE TORCIDA, CUJO O ESPÍRITO É TÃO FORTE COMO UM PAPEL, DERRAMOU SUAS LÁGRIMAS NA FRENTE DAS PESSOAS, E FOI MOTIVO DE PIADA MAIS UMA VEZ, SEU VICIADO EM NARCÓTICOS E DROGAS!!! E SE VOCÊ NÃO FOR VIRGEM, SAIBA QUE A SUA NAMORADA JÁ RODOU PRA TODO MUNDO DO BAIRRO, A BUCETA DELA PARECE O POÇO EM QUE A SAMARA SAÍA NAQUELE FILME DE TERROR, ISSO SE ELA NÃO FOR AINDA MAIS FUNDO, E PARECER, NA VERDADE, COM AQUELE ABISMO QUE UM CANIBAL JOGOU O CARA NO PÂNICO NA FLORESTA, SEU IMBECIL IDIOTA DE MEIA TIGELA!!!! A BUCETA DESSA SUA NAMORADA PEITO CAÍDO E BUNDA DERRETIDA É TÃO VELHA QUE TEM TEIA DE ARANHAS GRUDADA NELA, IGUAL UMA CASA MAL ASSOMBRADA, A BUCETA DA SUA NAMORADA, MAIS RODADA DO QUE PNEU DE LAMBORGHINI, É MAIS VELHA DO QUE O SARCÓFAGO DE TUTANKÂMON MISTURADO COM O DE AQUENÁTON, O PAI DELE!!! SEU PALHAÇO!!! VOCÊ PROVAVELMENTE NEM SABE QUEM FOI TUTANKÂMON PORQUE SÓ USA A INTERNET PRA PESQUISAR HENTAI E PORNOGRAFIA INFÂNTIL, E FOI, NESTE EXATO MOMENTO, PESQUISAR O QUE EU ACABEI DE CITAR, SEU DOENÇA DE MORCEGO!!! SUA TIA TRABALHA RODANDO BOLSINHA NO CARREFOUR, CUJA XERECA FEDE MAIS DO QUE UM BACALHAU E É MAIS RADIOATIVO DO QUE O ACIDENTE DO CÉSIO 137 MISTURADO COM O XERNOBYL, FUSIONADO COM O ACIDENTE DE PRIPYAT, SEU VACILÃO MELA CUECA!!!! NÃO É ATOA QUE O SEU TIO, PRA COMER AQUELA PORCARIA, TEM QUE USAR UMA MÁSCARA DE GÁS OU USAR A MÁSCARA DE UM DOUTOR DA PRAGA, SEU COMÉDIA!!! SUA PRIMA MASTURBA AQUELA BUCETA VERDE, IMUNDA E CARNUDA DE OGRO COM PARABRISA DE CARRO E AINDA FALA QUE NÃO TÁ SATISFEITA, E QUE PRECISA QUE ENFIEM ALI UMA BAZOOKA RPG 7, UM CANHÃO, UMA CATAPULTA E UMA LÂMINA DE GUILHOTINA, SEU CRACUDO, MACONHEIRO E NOIADO QUE MORA DEBAIXO DA PONTE!!!! SEU AVÔ TEM UMA BARBA IGUAL A DO PAPAI NOEL, A DO RASPUTIN E A DO OSAMA BIN LADEN, AQUELE VELHO BROXA CADEIRANTE QUE VIVE ASSISTINDO PADRINHOS MÁGICOS E BARNEY SOZINHO NA SUA PRÓPRIA CASA NA SUA TELEVISÃO DE TUBINHO COM 2 ANTENINHAS TORTAS, IGUAL A DO SIMPSONS, SEU COTOCO TETUDO DO CARALHO!!!! VOCÊ PROVAVELMENTE VAI LÁ NA CASA DELE PRA TOMAR REMÉDIOS DEPOIS DE LER A MINHA FÚRIA RESUMIDA EM PALAVRAS, É OU NÃO É, SEU FILHO DA PUTA MICROCÉFALICO ACÉFALO SEM MASSA ENCEFÁLICA DO CARALHO? UMA VEZ QUE A CASA DO SEU AVÔ PARECE UMA FARMÁCIA DE TANTO REMÉDIO QUE TEM E TANTO REMÉDIO QUE ELE TOMA, VOLTA PRO INFERNO DA ONDE VC NUNCA DEVIA TER SAÍDO, O PEITO DA SUA PRIMA É MAIS QUADRADA DO QUE UM BOOMBOX, AQUELES DA ÉPOCA DE 80, SEU PESO MORTO DO CACIMBA!!! A BUCETA DA SUA MÃE PISCA MAIS DO QUE UMA DISCOTECA, CABE UM HOLOFOTE, O DJ, AS LUZES, OS BALCÕES DE BEBIDA, E A TAVERNA, E O BAILE INTEIRO, SEU MERDA!!!! UM PEIDO QUE SAIU DESSE MALDITO CÚ ESPAÇOSO DO SEU IRMÃO FOI QUEM DERRUBOU O MURO DE BERLIM, SEU MERDA. ATÉ HITLER TINHA MEDO DA MENTE DOENTIA E DISTORCIDA DA SUA MÃE, AQUELA SABOTADORA DE BUTECO QUE BOTAVA VENENO DE RATO E CIANETO NA BEBIDA DOS VELHOS APOSENTADOS E FRACASSADOS QUE FICAM ALI, SEU MERDA!!!!! SUA NAMORADA (SE VC N FOR VIRGEM, É SEMPRE BOM LEMBRAR) TEM A BUCETA LOTADA E INFESTADA DE VERMES, GERMES, LARVAS, MIASES, CASA DE NINHO DE MARIMBONDO E MAIS UM FRASCO DE SBP PERDIDO QUE ELA ENFIOU ALI QUANDO FICOU COM MUITO TESÃO 1 DIA E DESCOBRIU A MASTURBAÇÃO PELO PRIMEIRO DIA, SEU MOSQUITO DE ÁGUA PARADA E PORRA LOCA!!!! SEU CORPO PARECE UM ESPERMATOZOIDE, FININHO E SÓ TEM A CABEÇA PONTUDA, MAS COM CERTEZA NÃO VAI SER A DE BAIXO, TÃO SEBOSA QUE PARECE UMA FÁBRICA DE QUEIJO COALHO, GORGONZOLA E PARMESÃO, SEU LEPROSO QUE AINDA CHUPA CHUPETA E MAMA MAMADEIRA, VAI DÁ MEIA HORA DE CÚ QUE VC GANHA MAIS, SEU CORPO É TÃO DESPRAZEROSO QUE NEM DEMÔNIOS QUEREM POSSUIR ELE!!!!! VC NÃO PASSA DE UM RATO QUE SAIU DO POÇO QUERENDO PASSAR LEPTOSPIROSE PARA ALGUÉM, MAS COMIGO AQUI, A ÚNICA COISA LEPTOSPIROSE QUE EXISTE É A QUE EXISTE NA XERECA DA SUA IRMÃ, AQUELA PUTA QUE PARECE O MESTRE SPLINTER TREINANDO OS TARTARUGAS NINJAS NO ESGOTO!!!!! RESPEITA OU PEITA, SEU TESTICULO DE ALMONDEGA E PIROQUINHA DE MACARRÃO PENNE DOS INFERNOS!!!! CÊ TÁ FODIDO E VAI COMER O PÃO QUE O DIABO AMASSOU NA PALMA DA MINHA MÃO!!!! VOU TE TRANCAR NUM SÓTÃO, TE TORTURAR, TE AMARRANDO COM CORRENTES, E SÓ TE ALIMENTAR A BASE DE PÃO, ÁGUA, SANGUE DE CACHORRO, RAÇÃO, E A MINHA ESPERMA DEPOIS QUE A MODELO MAIS GOSTOSA DO MUNDO, QUE JÁ POSOU NA VICTORIA SECRET E NA PLAYBOY, MASTURBAR ELA PRA MIM, SEU CAFAJESTE!!!! EU NÃO AMEAÇO, EU FAÇO E DEIXO A MISSÃO CONCLUÍDA, SEU FILHO DE UMA PUTA CHORADEIRA DO CARALHO!!!! VOCÊ NÃO PASSA DE UMA CHIHUAHUA ABANANDO O RABINHO, LATINDO, E MOSTRANDO ESSA BOCA PRETA COM UMA FILEIRA DE DENTES PARECENDO UM ESPINHO DE CACTO, VOCÊ É TÃO FEIO QUE A SUA MÃE PREFERIU AMAMENTAR A PLACENTA, A PRÓPRIA TRIPA E OS ÓRGÃOS INTERNOS, MAS NÃO QUIS ALIMENTAR VC, SEU PATO SENTADO E ALVO FÁCIL DE ATACAR!!!! SEU PAI NÃO PASSA DE UM CORNO, MAL SABENDO AS LANÇAS, CIPÓS, CASSETETES E TACO DE BASEBALL QUE OS NEGÕES NO CLUBE E NO CASSINO SEMPRE ENFIAM NELA DEPOIS DE GANHAR UMA APOSTA JOGANDO ROLETA RUSSA OU PÔKER, SEU DESIDRATADO DESNUTRIDO RAQUÍTICO COM OS ESQUELETOS APARECENDO DO CARALHO!!!! EU VOU PEGAR UMA SAI, AQUELA ESPADA, ENFIAR NO SEU ESTÔMAGO E GIRAR QUE O SEU INTESTINO SAIA NELA, DEPOIS, DECAPITAREI SUA CABEÇA COM UMA KATANA E VOU OFERECER ELA PARA UM TIGRE FAMINTO DAS FLORESTAS NEPALESAS. COMO RESULTADO, ELE VAI DEVORAR TANTOS SERES HUMANOS E FICAR VICIADO POR TANTA CARNE HUMANA, QUE VAI SER MAIS PROLÍFICO E FAZER MAIS VITIMAS DO QUE O TIGRE DE CHAMPAWAT, E O CAÇADOR QUE CONSEGUIR MATAR ESSE TIGRE, TERÁ O DESAFIO DE COMER A SUA MÃE SEM TER O PAU INFECTADO DE DOENÇAS OU COMPLETAMENTE BROXADO DEVIDO A FEIURA DELA, O QUE VAI SER UM DESAFIO IMPOSSÍVEL, E ATÉ ESSE CAÇADOR CASCA GROSSA VAI SE SUICIDAR, PEGANDO O SEU RIFLE DE PRECISÃO, MIRANDO E DANDO UM TIRO NO PRÓPRIO PEITO, SEU CORNO MANSO DESGRAÇADO!!!! VC NÃO PASSA DE UM CHEIRA COLA QUE VIVE NO TERREIRO DE MACUMBA COMENDO UM CAPIM QUE CAVALOS FAZEM AMOR E PISAM, CAGAM E URINAM TODO DIA, SEU FILHO DA PUTA!!!! NUMA BRIGA DE RUA, EU FAÇO A SUA CAVEIRA SER CONCUSSIONADA, FAÇO TUA CARA ENTRAR PRA DENTRO, E ARRANCO TODOS OS SEUS DENTES, DEPOIS, DOO ESSES DENTES PARA SEREM COLOCADOS EM PESSOAS BANGUELAS E NECESSITADAS, QUE VC MORRA EM UM ACIDENTE DE CARRO, E CASO AINDA NÃO DIRIGIR, QUE VC TENHA UM ANEURISMA QUANDO TIVER CAGANDO, PORQUE TODO CAGA, ATÉ UM VERME FRACASSADO COMO VC, SEU INÚTIL PATETA, PALERMA E PACHÁ!!!! MAS, DE FATO, COMO SEI QUE VC É UM FRANGO DEPENADO, SEM A MENOR CAPACIDADE DE DESFERIR UM SOCO, E CORAGEM PARA APARECER NUMA BRIGA, TUDO QUE EU IREI FAZER, VAI SER EU MESMO IR AI NA TUA PRÓPRIA CASA, E ENCOMENDAR UM TERRORISTA DO AL QAEDA PARA ESTACIONAR UM CAMINHÃO BOMBA, UM CARRO BOMBA E ATÉ MESMO UM ONIBUS E AVIÃO BOMBA EM FRENTE A SUA CASA, ESSE BARRACO COM MAIS RACHADURAS DO QUE UM SERTÃO NORDESTINO, SEU INSETINHO BARATA SANGUESSUGA E ALVO DE ZOAÇÕES, A TUA TESTA PARECE UMA LÁPIDE DE CEMITÉRIO, VC NÃO PASSA DE UM VANDÂLO QUE PIXA O PRÓPRIO CÚ E ESFREGA NA PAREDE, SEU ESQUIZOFRENICO MENTAL DO CARALHO!!!! VOCÊ BATE MAIS PUNHETA MAIS RÁPIDO DO QUE UM BEIJA FLOR VENDO LAVAGEM DE INTESTINO E SEXO DE HAMSTER, VOCÊ É MAIS FEIO DO QUE BATIDA DE CAMINHÃO E AUTÓPSIA DE SAPO, SEU PIADA HUMANA QUE TEM 500 PARAFUSOS A MENOS!!!!! SEU NEURÔNIO JÁ FOI QUEIMADO E SEU SISTEMA NERVOSO TÁ PARALISADO, SEU PEDAÇO DEFECADO DE HOMÚNCULO!!!! AQUELE CASTRADO NERD DO SEU IRMÃO AMOSTRA O PRÓPRIO CORPO NA PONTE RIO NITEROI PRA GANHAR GORJETA, MAS É ÓBVIO QUE NGM, EM SUA SÃ CONSCIÊNCIA, NÉ, SEU MONGOLOIDE, VAI DESPERDIÇAR A SUA PRECIOSA GORJETA EM UM CORPO QUE JÁ SOBREVIVEU MAIS TRAUMAS DO QUE O JASON DO SEXTA FEIRA 13, SUA MÃE É TÃO PESADA QUE O GODZILLA, OS VINGADORES E A LIGA DA JUSTIÇA INTEIRA NÃO CONSEGUIRIAM LEVANTAR ELA, SEU PEDAÇO DE MERDA ESMAGADO POR UM SAPATO!!!! QUE VC QUEIME EM ACIDO SULFÚRICO E QUE SUA CARCAÇA SEJA CONGELADA EM NITROGÊNIO, ESSA MINHA EXPLOSÃO FOI MAIS FORTE DO QUE A DA UMA DE BOMBA NUCLEAR, SEU BOSTINHA!!!! NO FIM DESSE TEXTO, SAIBA QUE VC É TÃO INSUPORTÁVEL E DESPREZÍVEL QUE NEM ÁTOMOS TE ACOMPANHAM E FICAM PRÓXIMO DA ONDE VC ESTÁ, SEU VAGABUNDO, INCAPAZ E FRACASSADO DO CARALHO. SEJA DESINTEGRADO, E NUNCA MAIS EXISTA NESSE UNIVERSO, SEU MERO MICRÓBIO.
submitted by CrazyNectarine to copypasta [link] [comments]


2020.06.11 06:26 Worac_ O PIOR dia da minha vida (primeira vez que visitei meus sogros poloneses)

Olá Luba, editor e pessoal que está lendo! (Desculpem pela longa história)
Minha história se passa há 2 anos atrás, quando eu estudava em Brighton (Inglaterra). Lá conheci minha atual namorada, já estávamos namorando fazia 3 meses e eu ainda não tinha visitado os pais dela: Motivo: Ela é polonesa, estudava na Inglaterra mas seus pais moravam na Polônia, então eu precisava de tempo para visitá-los, algo que eu não tinha. As férias de verão estavam se aproximando, Ela iria para a Polônia para ficar com sua família, então decidi fazer uma surpresa para ela, comprei uma passagem para lá. Porém, eu estava com muito medo, pois a diferença cultural entre Brasil e Polônia é bem grande, e ela sempre me dizia que seus pais eram bem tradicionais e conservadores com relação aos costumes e para piorar eles não falavam inglês. Quando contei para minha namorada que iria para seu país natal, ela ficou super feliz. Apesar da felicidade dela, eu estava muito preocupado, pois tinha certeza que meu sogro e sogra fariam alguma comida típica da Polônia para eu experimentar, e normalmente não tive boas experiências com essas comidas (com exceção de uma chamada Pierogi, é realmente muito boa), e também tenho um estômago muito fraco, eu vomito atoa. Embora eu estivesse com esses pensamentos, eu queria agradar minha namorada, então não comentei nada disso com ela. Eis que o grande dia chegou, viajei para a Polônia e fui direto para a casa dos pais dela. Todos pareciam muito felizes em me ver, apesar de eu conseguir falar apenas (Oi tudo bem? Qual é seu nome?) em polonês, eu estava realmente me sentindo em casa, tinha até esquecido da diferença cultural. Eu tinha chegado era umas 11h da manhã, conversei com a família dela por um tempo, e fui dormir, pois ás 15h nós iríamos almoçar. Chegando pra almoçar, vi que eles montaram uma mesa muito bonita para mim na sala, com um jarro de barro bem bonito no meio (lembrem -se desse jarro). De entrada comemos Pierogi (algo que eu gosto muito) e jájá chegaria o prato principal, eu estava confiante e tudo estava indo muito bem. Até que o prato principal chega, e minha namorada fala que é feijão com molho doce, pepino e linguiça com mel. Na hora eu já pensei "isso vai dar merda", mas eu tinha uma pequena esperança de meu estômago aceitar essa comida. Porém essa esperança acabou na primeira garfada que dei, aquela comida fazia meu estômago revirar, mas eu me mantinha forte e com uma expressão de " que comida gostosa!!!". Conforme eu comia, meu estômago se revirava mais e eu pensava "não vai dar, vou vomitar se eu continuar comendo", e o pior é que não podia demonstrar meu desespero, mas situações extremas requerem medidas extremas, eu tive a ideia "genial" de quando eu tivesse a chance eu jogaria o resto de comida no jarro da mesa, fecharia o jarro, esperaria até a noite quando todos estivessem dormindo e limparia o jarro na cozinha (eles dormiam no segundo andar, não dá pra escutar barulhos da cozinha de lá) e no outro dia agiria como se nada tivesse acontecido, afinal, eu só precisaria sobreviver àquele almoço, pois eu iria na próxima manhã fazer turismo em Varsóvia com minha namorada e de lá iria direto pra Inglaterra. Fiz "onda" na mesa por umas 2h, até que os pais dela e o irmão já estavam de saco cheio de me esperar almoçar e foram fazer outra coisa, dando a desculpa de " deixaremos vocês almoçarem sozinhos" (minha namorada traduziu). Quando minha namorada foi ao banheiro, eu joguei rapidamente o resto da comida que tinha no prato no jarro e o fechei rapidamente. Quando minha namorada voltou, ela nem notou que minha comida acabou rápido demais kkkk(ou notou, mas deixou aquilo pra lá) meu plano estava dando certo, por incrível que pareça. Naquela noite fiquei acordado no meu quarto até umas 2 da manhã para ter certeza que ninguém estava acordado, e fui na cozinha limpar o jarro. Quando coloquei a mão para tirar a comida lá de dentro, saiu um pó cinza na minha mão, mas com a pressa eu nem fiquei imaginando muita coisa. Tentei salvar o máximo de pó possível, afinal não sabia o que era aquilo Retirei a comida do jarro (infelizmente muito pó foi perdido nesse momento), retirei o restante do pó também e joguei em uma sacola que estava comigo, limpei o jarro, lavei as mãos e joguei o pó novamente lá dentro. Voltei pro quarto e todos continuavam dormindo, eu estava muito aliviado, mas logo isso passou e começou a me bater um desespero quando pensei no que poderia ser aquele pó, no fundo eu sabia o que era, mas não queria acreditar. Sinceramente eu pensei em deixar isso pra lá e ficar sem saber o que era aquele pó, pelo bem da minha sanidade. Porém, na manhã seguinte, quando estávamos colocando nossas malas na sala para viajar, minha namorada notou que eu estava olhando muito pro jarro, e ela acabou comentando " O jarro é muito bonito né? As cinzas do meu bisavô são guardadas lá " . Apesar de eu já suspeitar de que eram cinzas, quando recebi a confirmação parece que o mundo parou. Imagine a sensação: Eu me sentia abalado por ter tocado nas cinzas de alguém , culpa por ter feito aquilo com o Bisavô da minha namorada, medo dele passar a me assombrar e medo dos meus sogros descobrirem. Voltei pra Inglaterra sem contar isso pra ninguém, e até hoje parece que eles não descobriram o que aconteceu. O máximo que ocorreu foi a minha namorada perguntar se fui na cozinha a noite, pois de manhã a pia estava muito molhada. Eu apenas disse "fui beber água e limpei meu copo".
Enfim, até hoje é difícil falar sobre isso, e me ajudou bastante escrever aqui kkkkk. Enfim, tenham uma boa vida!
submitted by Worac_ to TurmaFeira [link] [comments]


2020.05.29 16:43 mateusonego Não aguento mais me arrepender

Bom dia, povo! Espero que estejam sobrevivendo aí, e bem.

TL;DR: Ateu mal-acostumado, ainda projeto o julgamento de Deus em todas as áreas e pessoas, e não suporto mais sentir culpa nem arrependimentos - o único futuro que vejo é me isolando e vivendo sozinho, sem interagir nem construir nada com mais ninguém, o que rouba todo o sentido da vida humana. Não sei mais o que fazer comigo.

Bom não tenho certeza do que eu pretendo com isso, mas eu honestamente não faço mais ideia de que direção tomar, e senti que pôr tudo pra fora pode elucidar alguma coisa. Peço desculpas desde já pela bíblia abaixo (quem ler vai rir da escolha de palavras) mas eu não sei identificar limites e necessidades ¯\_(ツ)_/¯ prefiro dar mais detalhes do que devo.
Enfim, já faz alguns anos que eu tenho depressão. Sempre fui uma pessoa muito ansiosa, a ponto de precisar me consultar a respeito algumas vezes enquanto criança. Me parece que a coisa toda começou principalmente depois que meu pai faleceu (doença cardiovascular - eu tinha 5 anos).
Eu não passava o meu dia com meu núcleo familiar (minha mãe sempre trabalhou, eu sempre fiquei com uma tia até pelo menos os 12), então ficava o dia todo na TV e quando chegava em casa a noite ia direto pro computador. Eu sou negro (sempre sozinho em espaços brancos, só bem mais tarde eu ia entender o que isso significava e começar a perceber as consequências), sempre fui mlk de prédio (cohab - de bem favorecida minha família não tem nada, mas graças a Deus nunca passamos fome), e minha mãe não percebeu o quanto eu me fechava conforme o tempo passava. Passei minha infância inteira brincando literalmente sozinho, fazendo todos os papeis etc rs e nem sei dizer o quão rápido me acostumei a passar o tempo integralmente dentro da minha própria cabeça.
Porque eu não entendi muito bem a morte do meu pai, e por conta de como eram as coisas na minha família (minha tia era paranoica, meu tio era um absoluto escroto em todas as áreas, minhas primas eram frustradas e descontavam um pouco em mim - nada demais, minha família sempre foi bastante amorosa, na verdade, não posso reclamar disso -), e por conta de eu passar uns 25% do meu tempo com minha mãe no máximo, que quando tava comigo tava cobrando sobre a escola etc, papo padrão de mãe ausente (não culpo ela em nada, minha mãe sempre foi esforçada pra cacete e lutou muito pra subir aos poucos na vida, sempre se fez o mais presente possível e demonstrou amor incondicional, sempre deixou claro que me ama não importa a merda que eu faça - mas o fato é, ela sempre me cobrou muito das coisas, não exatamente da forma mais inteligente), minha terapeuta disse que meu cérebro me responsabiliza de alguma forma pela ausência do meu pai (como se eu tivesse cometido algum erro, e por ISSO ele tivesse saído da minha vida), e hoje entendemos que meu cérebro associou toda essa mistureba como: "não posso errar, nunca, preciso ser capaz de cuidar das minhas responsabilidades, se não os outros não vão querer saber de mim, e eu ainda posso prejudicar eles, pôr o esforço deles a perder, então eu nunca posso fazer nada que não seja a melhor e mais perfeita coisa que eu poderia ter feito no momento".
Soma-se a isso o fato de minha família ser aquelas tradicionais evangélicas neo-petencostais, e toda minha insegurança foi armada e munida: eu sempre levei a coisa a sério, me esforcei para viver de acordo com filosofias ou de acordo com as conclusões que eu chegasse, achava que era questão de vida ou morte (ser salvo ou ir pro inferno) que eu ponderasse muito sobre minhas escolhas e fosse compromissado - só assim eu verdadeiramente estaria fazendo a vontade de Deus, só ignorando o mundo e as tendências e me reservando a ficar sempre na contra mão.
Eu nunca me senti bem, feliz ou satisfeito. O estado mais positivo que eu já consegui alcançar foi "conformado", mas mesmo enquanto amparado pela fé, eu não via muito sentido nas coisas, não conseguia enxergar propósito que não fosse Deus, e a forma de lidar com esse propósito - combatendo o mundo, pra convencê-lo a se salvar - me frustrava. Mas a coisa tomou outro patamar quando, depois de uns anos levando a sério a religião, eu me dei conta que não cria em mais nada. Aí, a depressão que se mascarava como descontentamento se assumiu de verdade, e só então eu reparei há quanto tempo eu andava desejando morrer mas não admitia para mim mesmo. Foi só quando eu parei de encarar o suicídio como um pecado, que eu passei a reconhecer com quanta intensidade eu sempre flertei com ele. Isso faz uns 10 anos, e de lá pra cá, a vontade de abandonar tudo só cresceu - e hoje eu sinto que isso é especialmente pq eu passei o papel de "Deus" pras outras pessoas, ou pra sociedade: cada ação minha está sendo pesada por alguém - ou será pesada por cada pessoa que passar pela minha vida - e meus acertos determinarão meu valor enquanto pessoa.
Nunca tive problemas para ter amigos, mas sempre me senti bastante deslocado (negro e cristão, né, nunca me sentia completamente pertencente). Sempre fui inseguro e sem malícia demais pra ter atitude para ter um relacionamento, e como eu era cristão e tem toda a parada de sexo etc, enfim, eu fui demorar para ter meu primeiro relacionamento, que eu abri mão pq não dava conta de quão mal eu me sentia, do quanto eu me cobrava ou me culpava por tudo, do quanto de ciúmes que eu sentia, etc.
A vida passou, eu deixei de ser cristão, comecei a entender melhor a sociedade, comecei a fumar maconha, fumei muita maconha, e no meu 3º relacionamento minha namorada percebeu que tinha coisas dentro de mim com as quais eu não sabia como lidar, e me convenceu a fazer terapia, por mim, e por nós. Eu comecei a fazer. entendi muitas das coisas que mencionei aqui, tivemos anos de muita alegria, fomos morar juntos, eu seguia com a terapia e tomando remédios etc, até que... fomos nos afastando... e eventualmente terminamos. Na época eu não sabia direito identificar o que tinha acontecido. Hoje, eu acho que fumávamos demais, eu em especial, e não estava me esforçando de verdade para estar com os outros e fazer coisas novas, eu só queria saber de fumar, tava afstando ela da família dela, enfim... provavelmente acabei entregando um relacionamento tóxico pra ela, ou até abusivo.
Eu moro sozinho há uns 2 anos e meio agora. Sigo fazendo terapia e tomando remédios (só 10 por dia). Continuo fumando maconha, pq é a única coisa que alivia o dia-a-dia, tentando reduzir bem (hoje fumo 1/3 do que fumava no começo do ano, por ex - mas ainda fumo um pouco todos os dias, e minha psiquiatra sabe). Eu sei que isso já detonou minha noção de tempo, realidade, felicidade, vida, etc... Estou ansioso num nível que, de tanto mexer o meu calcanhar, eu literalmente to com problemas pra descer escadas ou ladeiras, sei lá, meu músculo buga e começa a tremer.
Eu tive um relacionamento no fim do ano passado, mas invadi todos os espaços dela sem a menor paciência, cobrava atenção que não fazia sentido pro que tínhamos, enfim, creio que projetei uma "continuação" do meu último relacionamento, não soube identificar como recomeçar a conhecer e ficar com alguém.
Nos últimos meses minha mente abriu muito pra muita coisa, e eu deixei de me culpar de muita coisa. Entendi algumas das minhas limitações, e que eu poderia escolher a vida que eu queria levar, dia após dia, eu posso escolher como levar meus dias. Eu trabalho, pago minhas contas, tenho um relacionamento ok com minha família, não devo nada a ninguém. Entendi por ex que eu provavelmente não tinha machucado minha última companheira, mas eu sem dúvidas frustrei muito a ela e a mim, e absolutamente gratuito.
Enfim. To há mais de um ano sem conseguir dormir 5h seguidas (serião), e aí pow, quarentena, não tenho o que fazer além de pensar na vida. Antigamente eu via muitos filmes e séries, ouvia música o dia inteiro etc, ultimamente SÓ consigo ver animes (não sei se pq os episódios são curtos, por conta da variedade, se é pq eu sou uma eterna criança, se é pq eu acho mais fácil refletir em cima das problemáticas...). Não aguento mais sonhar com o passado, não aguento mais sentir saudades das pessoas que passaram pela minha vida (especialmente minha noiva), não aguento mais não ter perspectiva nem vontade de futuro. Faz alguns meses já que eu tenho certeza absoluta que só estou vivo ainda pela minha família. Eu não queria, não tenho força nem ânimo pra sonhar com nada que eu queira pra mim, ou com nada que eu acredite que possa alcançar. Eu sinto que nenhum esforço pra ser feliz ou chegar em lugar nenhum nunca vai compensar as tristezas, as dores, e acima de tudo, os arrependimentos. Por mim, posso dizer isso sem medo algum, eu já tinha ido embora há alguns meses. Tenho até umas receitas naturais salvas pro dia que a coragem chegar (mas ela nunca vai chegar, eu nunca faria isso com minha mãe e meu irmão)
O que me mata são os arrependimentos. Eu demorei, mas entendi que tem muita gente pelo mundo, e que as pessoas vem e vão mesmo, isso é inevitável, e não precisa ser negativo. Eu não tenho "medo" de nunca encontrar ninguém, por exemplo. Mas meus sentimentos de culpa são TÃO fortes que eu nunca mais quero arriscar sentir isso por ninguém. Nunca mais quero sentir que decepcionei alguém, e tb não quero me frustrar. Eu sou honesto demais (acho que deu pra perceber), e embora leia MUITO as pessoas, nunca aprendi a lidar com o ritmo do mundo ou com a relação que as pessoas tem com a própria vida - esse ano me dei conta que continuo absurdamente religioso com a vida, to tendo que desconstruir pra entender como não encarar cada segundo como uma responsabilidade de tomar a decisão certa. Mas ainda dói demais pensar que eu machuquei as pessoas, e me dar conta que eu perdi oportunidades e pessoas por ser burro e egocêntrico. Ainda encaro os acontecimentos como decisivos, ou "destino". E decidi esse ano que ia me concentrar em mim, juntar uma grana, melhorar um pouco de vida e tal - mas quarentena, e aí no meio dela eu vi o quanto eu ainda me sinto dependente da validação dos outros (é um pouco de carência tb sim, mas é realmente uma necessidade de validação absurda), e que precisava aprender a superar.
Mas os dias passam, e minha cabeça não muda: to sozinho pq fiz muita merda, pq fui ansioso e egoísta, sou estranho e introvertido demais pra me relacionar com amigos ou parceiras de qualquer grau, e, como sei que preciso ficar vivo, pelo menos até minha mãe morrer, a única estratégia que eu vejo é se eu me fechar pra todo mundo e aprender a me aceitar sozinho. E eu realmente não posso dar brechas pra ninguém participar da minha vida, pq as preocupações me consomem, e eu sinto o arrependimento antes mesmo de fazer qualquer coisa.
Bom, é isso. Se você chegou aqui, parabéns. Recomendo agora um Neil Gaiman, um C. S. Lewis, ou pq não um Marx né. Como eu disse, não sei onde eu quero chegar. Acho que só precisava pôr pra fora. Por favor fiquem mais que à vontade pra comentarem qualquer merda, não to esperando ajuda nem forças, nem compreensão na verdade, mas eu sei que vcs vão me entender (talvez eu esteja procurando perdão, ou redenção?). Se alguém tiver passado por qualqueeeeeer coisa parecida, tamos aí para conversar.
Mas é isso amiguinhos, não se deixem acumular culpas, nós raramente temos, o mundo é difícil e cruel e cada favelado é um universo em crise. Sempre erraremos e sempre teremos de dar um jeito de levantar no dia seguinte. Cabe a cada um escolher como e com quem quer fazer isso. Boa sorte pra nós, pois Brasil. Muito amor, paz e saúde.
submitted by mateusonego to desabafos [link] [comments]


2020.05.26 18:53 not_anon666 Mania estranha, excesso de masturbação e dificuldade para chegar ao orgasmo

Oi gente! Faz um tempo que precisava pedir ajuda nessas questões, ou pelo menos falar sobre, entretanto nunca soube onde, e acredito que esse sub me pareceu mais adequado. Tenho muita vergonha de falar sobre isso com as pessoas e acredito que aqui posso ter ajuda aqui melhor do que falando com algm, nem que seja pra desabafar.
Eu sou homem cis, então tenho pênis. Isso vai ser relevante mais pra frente.
Desde que comecei a me relacionar sexualmente notei que tenho certa dificuldade pra chegar ao orgasmo durante o sexo. Com a minha primeira namorada era mais relativo, as vezes era normal as vezes demorava, poucas vezes que realmente não dava, então nunca foi uma preocupação grande. Mas as relações sexuais que tive depois dela foram relativamente.... estressantes nesse ponto. A última mulher com quem tive uma relação sexual com penetração nunca tive orgasmo, chegou ao ponto da última vez que fizemos, depois de muito tempo no ato meu corpo começou a formigar muito nas pernas e braços, foi muito bizarro. Claro que não chegar no orgasmo não estraga a experiência do sexo, mesmo não ejaculando dá pra aproveitar e é muito bom, mas além de estranho eu noto que as vezes pode causar certo desconforto na outra pessoa por não conseguir "me fazer chegar lá".
Eu tenho a impressão que isso pode ser causado por excesso de masturbação e uma mania que tenho durante ela. Eu sei que esse excesso pode causar esse tipo de efeito, onde é muito difícil de chegar ao orgasmo numa relação, mas acho que o principal é essa mania.
Desde minha puberdade eu cruzo as pernas pra me masturbar, muitas vezes fazendo certa pressão com elas. Eu não faço ideia do pq. E toda vez que pesquisei sobre isso eu acabei em artigos ou relatos de pessoas que tem vagina fazendo isso ou algo parecido, então nunca encontrei um uma explicação sobre fazer isso tendo pênis. Antes de me relacionar sexualmente eu me preocupava que esse tipo de coisa pudesse interferir no sexo, e tentava não fazer, mas a vontade de cruzar as pernas era tão grande e tão forte que eu acabava "cedendo", pq o prazer durante a masturbação era melhor (além do orgasmo vir mais rápido), então nunca mais tentei mudar isso. (edit: minha primeira namorada é a única pessoa que sabe disso, nunca me senti a vontade de falar disso pra mais ngm)
Não sei se eu me masturbo com excessividade ou não, não sei o quanto seria considerado natural e saudável e o quanto é em excesso. Mas eu gostaria mesmo de poder aproveitar mesmo que seja a masturbação sem precisar fazer isso, não me parece certo e parece que faz com que eu "precise de muito" pra ter um orgasmo (aliás, algm uma vez falou numa roda de amigos sobre se masturbar e ter um orgasmo em 5min e achei aquilo estranho, e todo mundo estranhou o fato de eu aparentemente demorar mais nisso, mas não sei o quanto disso é relevante).
Eu não procurei um nofap da vida pq não acho que eu precise parar de me masturbar, mas eu gostaria MUITO de abandonar essa mania e talvez reduzir a masturbação, pra quem sabe aproveitar melhor o sexo.
Eu vim pra esse sub pra, além de pedir uma orientação de como seria melhor lidar com isso, saber se mais alguém tem uma mania parecida. É muito estranho e improvável que eu seja a única pessoa com pênis a ter essa mania, mas nunca encontrei nada sobre isso na internet, o que me deixou essa sensação de "estar sozinho".
Enfim, dsclp o texto longo.
submitted by not_anon666 to sexualidade [link] [comments]


2020.04.16 03:44 GentleBigD Me sentindo uma pedra (talvez cancele a postagem mais tarde)

Olá,
Ultimamente os únicos momentos que sinto algum sentimento além de frustração é quando jogo FPS a noite, e mesmo assim, saber que meus pais podem estar escutando da sala o que converso do meu quarto pelo PC com meus amigos, faz com que eu não consiga curtir o momento 100%. Não me sinto mais "seguro" ao lado deles, muito menos confortável. De tanto eles mentirem para mim, cobrarem de mais, não me escutarem e ignorarem o que sinto, fez com que eu perdesse a total confiança neles. Veja bem, eu os amo muito, mas o jeito que eles me trataram a vida toda como criança e alguém sem futuro, fez com que eu me fechasse, a minha autoestima ruisse e criasse várias inseguranças infundadas durante a minha vida toda. O comportamento deles é extremamente narcisista. Mesmo eu tentando melhorar eles me puxam para baixo e cortam toda minha vontade de crescer na vida.
Um exemplo: quando eu tinha 11 anos (atualmente tenho 21) eu queria fazer algum esporte, me movimentar um pouco, pois me sentia um garoto sedentário. Eu queria muito fazer box ou basket, cheguei a comentar com meu pai, que na ocasião meu irmão - que também é outro narcisista muito pior e sempre me tratou mal - também estava lá, simplesmente começaram a rir da minha cara, lembro que meu pai em seguida falou algo do tipo "você é muito baixo, não vai crescer e não tem o porte físico para fazer basket ou box, todas as crianças da quadra vão debochar de você". Eu tinha 11 anos, no começo da puberdade, eles nem pensaram em como iria afetar meu psicológico futuramente.
E olha que esse exemplo foi um dos leves. Tem muito podre na história ainda, futuramente se quiserem contarei mais. Enfim, depois que consegui uma bolsa integral sem nenhuma ajuda deles na faculdade que eles queriam, poisé... pensei que iriam parar de me tratar mal e constantemente me rebaixar, mas nada mudou. Continuam me tratando mal. O ápice foi em outubro do ano passado, quando meus pais me pediram do dia pra noite 6.500 reais emprestado (quase tudo que eu tinhana época), pois não conseguiram pagar o financiamento do carro. Eu estava juntado 50% do meu salário como estágiario. Mesmo com todo o sacrifício que eu fiz para juntar, eu dei o dinheiro, salvei eles do vexame em ter o carro retirado judicialmente. Meu pai me disse que iria me restituir o dinheiro no mês seguinte (não cumpriu a promessa) e toda vez que eu pergunto quando eles vão me restituir o dinheiro, ele me trata mal, fecha os ouvidos e joga na minha cara que não tenho nenhum futuro e namorada (longa história essa sobre namoradas). Chegou a um ponto que parei de escutá-los, só quero sair dessa situação, só quero sair de casa e começar a viver por mim mesmo. Faz anos que não me sinto feliz. Ainda sobrou um dinheiro na minha conta, cerca de 3.5k... eu tinha planejado pelo menos conseguir acumular 10.000 reais no final do estágio, para abrir um negócio, continuar investindo na bolsa ou qualquer outra coisa que me tirasse de casa.. iria dar certo se não tivesse emprestado o dinheiro, mas fazer o que, né?
Me sinto frustado, sozinho e triste. Ultimamente estou estudando mais sobre day trade, quero sair dessa casa o mais rápido possível, alguém tem alguma dica ou uma palavra de consolo?
Desculpa se escrevi de mais, talvez cancele a postagem mais tarde.
submitted by GentleBigD to desabafos [link] [comments]


2020.04.11 22:47 ehmuidifici Levei um tiro na cabeça

Comigo foi um pouco diferente. Primeiro o estalo do tiro, e em seguida, um clarão. Tudo ficou branco e eu só escutava um zumbido, agudo, e bem alto. Parecia que eu caia pra trás em câmera lenta, enquanto tentava entender o que tinha acontecido. E apesar de terem me dito que eu nem fechei os olhos, esse momento parecia ter rolado em câmera lenta, enquanto eu caía. O susto. O clarão. O zumbido. Ficou tudo branco. Bem claro, nao via nada, só branco. Foi como que uma experiência pra fora do corpo, sei lá. Eu estava lá no restaurante, sentado, almoçando, bem tranquilo, comendo. Com a boca cheia de brócolis, e de repente eu não estava mais lá. De repente, eu estava em outro lugar, e era tudo branco, vazio, e eu só escutava o zumbido e só enxergava o clarão. E enquanto eu caia, dei por mim que tinha levado um tiro. A voz na minha cabeça disse algo como "Eita cacete, o que foi isso? EITA LEVEI UM TIRO! MERMÃO LEVEI UM TIRO NA CABEÇA". "MORRI.", pensei. Tive certeza de que ia morrer. Ou que já tinha morrido. Já estava morto e estava em outro lugar. Nem senti dor nem nada nesse primeiro momento, e achei até que o clarão era a luz no fim do túnel que veio com tudo e meio que me atropelou ou algo assim, não sei "Morri.", pensei. E nesse instante eu não tava triste, com raiva, chateado, nem nada. Estava surpreso e curioso, juro, curioso, querendo saber o que vinha em seguida, se é que vinha alguma coisa. Morri. E agora? O que vem depois?. Tinha certeza que tinha morrido, ou que nem ia abrir os olhos e ver mais nada.
De repente abro o olho, todos os clientes do restaurante saíram correndo, o ladrão também, e só estava minha namorada lá, em cima de mim, olhando pra mim.
De repente comecei a sentir. Não dava pra saber exatamente onde é que a bala daquele revólver .38 tinha me acertado, a sensação era a de que toda a minha cara estivesse virado do avesso, ou como se alguém tivesse pego uma picareta e acertado em cheio na minha cara, com tudo, e a picareta ainda estivesse lá. Me mandaram não me mexer, e eu não me mexi.
Não me mexi, nem falei nada, mas sentia o sangue grosso, quente e escorrendo pelo meu olho, nariz e garganta, com força, como se uma mangueira estivesse aberta dentro da minha cabeça. Lembro até hoje do gosto de sangue e brócolis. Sentia sangue escorrendo pelo meu olho, pelo buraco do projétil, pelo meu nariz, pela minha garganta, pelo meu ouvido, por tudo, e pela quantidade de sangue que eu perdia, e ainda sem saber aonde a bala tinha atingido, ainda tinha certeza de que eu ia morrer, ali. Aquele tanto de sangue, aquela situação, Aquela cena de filme mesmo, surreal, pesadíssima. Sangue e dramaz só.
Achei que eu fosse apagar, e não apaguei. A primeira coisa que eu disse foi "aonde acertou?' e ela me disse que tinha sido no nariz e de raspão.
"De raspão", pensei, e quase ri. Eu sabia que tinha sido na minha cara. Eu sabia que tinha me acertado em cheio. Estava tudo meio dormente, todo meu lado direito do rosto, e eu tinha certeza de que a bala ainda estava ali. E era muito sangue, e estava ficando cada vez mais difícil respirar, então pedi pra ela tirar a comida com sangue que estava dentro da minha boca. Brócolis e sangue. Muito sangue. MUUUITO SANGUE. Eu nunca tinha visto tanto sangue na minha vida e acho que ninguém que estava vendo aquela cena tinha visto tanto sangue também.
Olhei aquela poça de sangue. Aí que do nada apareceu uma aluna do último semestre de medicina, que por acaso do destino também estava ali almoçando no mesmo restaurante (isso aconteceu ao lado de uma universidade federal) e pediu um pano e pressionou por onde a bala entrou, tentando estancar qualquer coisa. Mas a maior parte do sangue escorria era por dentro.
Pensei que eu fosse apagar, por estar perdendo todo aquele sangue, e simplesmente morrer, ali mesmo, e bem rápido. Na porta do restaurante , amigos, conhecidos e outros clientes do restaurante todos em choque, todos em desespero, ligando pro SAMU (ambulância) , discutindo sobre quem tinha carro pra me levar pro hospital e coisas assim, e dentro do restaurante, eu, jogado no chão, em cima de uma poça enorme de sangue, minha namorada e a moça lá, já quase médica, que por milagre também estava almoçando lá, mas que infelizmente não podiam fazer muita coisa por mim naquela situação. Só esperar.
Escuto que chamaram o SAMU e que ele estava a caminho. Era 12:30, horário de pico, e essa cidade tem um dos 3 piores trânsitos do Brasil.
Morri, pensei. Morri. Ali. Morri esperando o SAMU chegar. Era muito sangue, e não parava de jorrar. Pensei no trauma que seria pra minha namorada, morrer ali, na frente dela, vítima de um assalto, de algum ladrãozinho muito doido que veio roubar meu celular e na hora de sacar a arma já disparou, de nervoso ou de sei lá o que, e me acertou em cheio, a queima roupa. Morri. Tinha certeza de que ia morrer ali e não havia mais nada que eu pudesse fazer. Certeza.
Pensei nela, pensei também na minha mãe, pensei na dona do restaurante, pensei no trauma que seria pra todas aquelas pessoas que estavam ali e saíram correndo, eu morrer ali, na frente delas. Nem pensei muito em morrer, pq até então eu ainda tinha certeza de que sobre a morte eu não tinha nada mais o que fazer.
E aí o corpo começou a doer. Não tanto onde o tiro acertou, mas os ossos, da posição que eu estava no chão. Perguntei se eu podia me mexer, disseram que não. Tentei me segurar por uns instantes, mas a agonia era tanta que a vontade era de levantar e sentar em uma cadeira. Me mexi, apoiando os braços assim, pra mudar de posição e virar de lado, e vi o tamanho da poça de sangue que se formava debaixo de mim. Um sangue grosso, escuro, denso. E ver aquela quantidade absurda de sangue (sério, esguichava do meu olho, coisa de filme do Tarantino ou algo assim) e só me deu mais certeza de que eu ia morrer, ali. Esperando o SAMU chegar. Jogado no chão, sentindo gosto de sangue e de brócolis.
E então a dor veio, e era meu rosto todo queimado de polvora, meu olho, meu nariz, tudo. O buraco da bala queimava, doía. A bala acertou meu maxilar, entre o olho direito e o nariz, região naso-orbital, bem aonde fica as borrachinhas dos oculos, sabe? Bem ali, entre o olho e o nariz. E era uma dor de osso quebrado, a sensação era a de que a minha cabeça tinha virado do avesso. Ver todo aquele sangue e sentir essa dor começou a me levar pra um desespero.
Senti frio pelo corpo todo, de arrepiar. "É agora", pensei. Senti uma fraqueza, pensei: "Vou desmaiar." Desmaiar e morrer.E a dor. Toda aquela dor. Até então acho que eu estava relativamente calmo, mas nesse momento foi como se o jogo tivesse dado uma virada. Alguma coisa dentro de mim deu uma chacoalhada e disse que nao. Minha namorada disse pra eu continuar acordado, continuar com ela, que ela não ia me deixar ir embora não. Com o frio e a fraqueza, reagi. Disse "tá doendo muito, vou gritar" , e nem era tanta dor, era só uma vontade súbita de reagir. Comecei a urrar, fingindo que era dor, mas era de desespero. Uma reação pra não apagar ou algo assim. Um fôlego e uma vontade de gritar. Gritei. Acho que funcionou.
Foram uns 20 minutos, e a ambulância chegou. Pelo local de entrada do projétil, decidiram que teriam que me levar pra um hospital com neurocirurgião de plantão. "Tô na merda", pensei. Me amarraram numa maca, colocaram um colar cervical, e me colocaram dentro da ambulância. O hospital era no centro da cidade, a uns 10km de onde eu estava. "Pronto, vou morrer numa ambulância dentro do engarrafamento". Na ambulância, só me deram soro. A dor aumentava, e acho que me deram dipirona sódica ou algo assim. Exatamente, desses que a gente toma pra dor de cabeça. A ambulância chacoalhava pra todos os lados, e pra não cair da maca ou algo assim, me mandaram eu me segurar. Nesse momento, percebi que todos na ambulância estavam relativamente calmos, (menos o motorista), e pela primeira vez passou pela minha cabeça que eu talvez não fosse morrer naquele dia ali não.
Minha garganta queimava de sangue seco e de mais sangue que descia. Trocaram o pano por uma gaze pra estancar o sangramento externo, mas era sangue demais. Me deram soro, e só. Fechei o olho e tentei me acalmar, mas acho que se eu desmaiasse ali e morresse estava tudo bem, estava calmo,e não tinha nada que eu pudesse fazee e eu não tinha muita esperanca de que pudesse sair dessa. Até que…
Chego no hospital, me tiram da ambulância naquela correria, e eu vejo aquele hospital público do SUS com o teto todo caindo aos pedaços, e em volta, aquela zona de guerra que só existe em hospitais públicos de trauma das grandes Metrópoles brasileiras: gente espalhada pra todo lado, nas macas, nas cadeiras, no chão. A enfermeira do SAMU me leva pra sala de emergência, zona vermelha, e me entregam pro hospital. Nesse momento um dos enfermeiros dos hospital diz que não tem gaze, não tem luva, e me pede que eu segure a que está toda ensanguentada, ali, eu mesmo. "Vou morrer aqui nesse hospital", pensei. Tem nem gaze, tem nem luva. Fodeu.
O que se passou depois foram os piores momentos da minha vida. Engasgando em sangue, morrendo de sede, de dor,de agonia e desespero. Me afogando no meu próprio sangue, enquanto nada acontecia. Hospital lotado. Mais de hora pra conseguir uma tomografia. Sai a tomografia e perguntam "quem é Isaac", ao que eu respondo levantando a mão. A pessoa responde "não, é outro, esse aqui ou tá morto ou tetraplégico e você tá aí levantando a mão". Outro médico ou enfermeiro responde baixinho dizendo que sou eu mesmo, ao que o outro vem pra perto de mim, me dá uma olhada e diz "vixe, amigo, te contar que ninguém vai tirar essa bala daí não…" Descobrem que a bala está na C1, fraturou a vértebra, a primeira da cervical, logo na base do crânio, e que ninguém sabe porque milagre o afetou a medula e eu não tive uma lesão neurológica.
Horas e horas se passam, eu gritando no hospital pra ver se eles faziam alguma coisa. Na minha cabeça, seria alguma coisa de filme, de seriado, sei lá, iam me dopar e eu ia apagar e se fosse pra morrer, morria, se fosse pra sobreviver eu só ia saber no dia seguinte, mas não foi assim não. Nesse ponto eu tinha decidido que se fosse pra morrer eu não ia morrer fácil não. Já tinha chegado até ali. Tirei força não sei de onde. Daí costuraram meu nariz. "Tamponamento", o nome. Jogaram umas gaze com uma pomada dentro do meu nariz e costuraram, pra ver se o sangramento diminuía. Tudo bem rápido, sem tempo da anestesia pegar, costuraram todo meu nariz e me deixaram lá.
Talvez realmente não houvesse muito o que fazer, a sala de cirurgia estivesse cheia e com casos piores, na frente, na fila, não sei. Mas era muita dor, muita agonia e muito desespero pra que eu conseguisse ficar quieto, e a sensação de que se eu me acalmasse eu ia desmaiar, apagar e morrer. Gritava, pedia que fizessem alguma coisa, não suportava a situação de estar lá, daquele jeito, e simplesmente ninguém estar fazendo mais nada. Eu estava me afogando no meu próprio sangue, cuspindo o que conseguia, sem conseguir respirar. A garganta rasgando de sangue seco, uma dor insuportável e a sensação de que eu estava à beira da morte e que alguém precisava fazer algo rápido, senão minhas chances iam acabar bem rápido.
Não gostaram muito da minha reação e me amarraram na maca pra com uns lençóis, uns panos, meus braço e minhas pernas. Acho que pra aver se eu ficava quieto e parava de gritar e de reclamar. Mas não adiantou muito não Gritava de dor. Pedia que fizessem alguma coisa, nem que fosse me dar um remédio pra eu apagar e aquele inferno acabar. Gritava. Urrava. Agonizava. Fiquei meio puto até com o universo que estava me fazendo passar por aquilo tudo ao invés de me levar embora de uma vez. Parecia que nenhum médico queria mexer comigo, que eu não tinha jeito, que iam me deixar ali daquele jeito mesmo. Sei lá. Eu queria que fizessem alguma coisa sou que eu morrer logo de uma vez, sei lá. Só queria que aquilo tudo acabasse de uma vez. Não estava aguentando não. Já tinha passado dos meus limites fazia era tempo.
Na hora eu perdi completamente a noção de tempo, e as 17:10(dei entrada no hospital umas 13:10), ou seja, depois de umas 4h agonizando e berrando na emergência, me levaram pro bloco de cirurgia. Chegando lá, um médico disse que ia ficar tudo bem, reclamou com alguém que naquela situação eu deveria ter sido entubado logo ao chegar no hospital, e me disse pra me acalmar que agora eles iam cuidar de mim. Me disse que ia me dar uma anestesia (eu ouvi fentanyl) e que eu ia apagar por uns 30 minutos e eu pensei "nossa finalmente vão me apagar pq se for pra morrer pelo menos eu pelo menos morro em paz" e senti tudo apagando, tudo ficando leve e tudo ficando escuro, bem rspido, sem ligar muito se eu ia acordar de novo ou não, mas enfim em paz pq pelo menos eu ia parar de sentir tudo aquilo que eu estava sentindo. E funcionou.Eram 17:15 da tarde. Ele disse 30 minutos. Acordei no dia seguinte, 9:30 da manhã. A enfermeira olha para mim e num instante, começa a retirar parte de sua face, revelando ser uma máscara de borracha, dando início a era das máquinas.
submitted by ehmuidifici to brasilivre [link] [comments]


2020.02.19 16:05 extrastoned Sonhei que me tornei duas pessoas e acordei me sentindo incompleto

Eu estava morando em uma grande cidade, em um apartamento no centro. Eu vivia com uma namorada. Sempre que eu ia dormir (dentro do sonho) eu tinha vários pesadelos onde tudo que eu pensava acontecia. E eu não tinha muito controle, então destruía coisas, me transformava em um monstro, voava. Depois de vários dias dormindo, sonhando e acordando dentro do sonho, eu percebi que o que eu fazia durante o sonho acontecia de verdade na cidade. Eu comecei a ter medo de dormir, pq eu tinha destruído prédios e tals. Foi quando eu descobri que tinham mais pessoas como eu. Em uma noite enquanto eu sonhava eu conheci uma garota que morava alguns andares acima de mim, no mesmo prédio. Ela tbm morava com a namorada, e tinha os mesmos poderes. Mas ela já tinha muito mais controle sobre eles. Ela me ensinou que eu poderia usar enquanto estivesse acordado, e aos poucos eu fui entendendo como controlar. A gente passou a ficar muito tempo junto, e muitas vezes eu estava no controle da vida dela, e ela da minha. Vivendo em dois lugares ao mesmo tempo. Sem conseguir diferenciar um do outro. A gente era um. Continuamos vivendo as próprias vidas, porque nós dois amávamos nossas namoradas igualmente (ambos amávamos as duas), nós nos conhecíamos totalmente. Sabíamos tudo que o outro sabia. Não existia mais diferença entre nós dois. Ela fazia sexo comigo e nossas duas namoradas, ela era minha irmã, minha melhor amiga, uma parte de mim, e eu uma parte dela. Eu era ela e ela era eu. Mas nós dois tínhamos nossos próprios corpos. A gente já não conversava mais, pq sabíamos o que o outro pensava. E vivíamos coisas incríveis pq tinhamos poder ilimitado. Nadamos no fundo do mar, viramos gigantes, voamos pelo mundo, a gente fazia tudo, bastava pensar. Foi quando começamos a ser perseguidos por outras pessoas que tinham esse poder. A gente nunca entendeu pq elas perseguiam a gente, mas fugiamos. Por conta disso nossa vida pessoal desapareceu. Eram 24h de batalha e fuga com outros iguais a gente. Tínhamos que batalhar pra não deixar eles entrarem no nosso cérebro. Prever o que eles fariam. Criar coisas pra impedir os planos deles. Não havia lugar seguro, não havia pausa. E tudo acontecia muito rápido. Em um momento nós éramos uma sombra correndo pela cidade, em outro nós éramos pássaros, plantas, humanos. Não podíamos mais focar nossa atenção em nenhum lugar ou objeto, porque os nossos perseguidores estavam lá. Sem lugar pra fugir, sem forma de evitar. Só ação ininterrupta.
Aí eu acordei. Passou muito tempo no sonho, e como dormi, sonhei e acordei várias vezes, não reconheci minha casa. Eu não conseguia entrar em contato com ela, nem usar nenhum dos meus poderes. Não sabia onde estava. Demorou um tempo pra descobrir que só agora eu acordei de fato.
Eu ainda tô me sentindo vazio. Como se uma parte de mim estivesse faltando. Eu ainda não voltei a ser eu totalmente. Ainda sinto que a qualquer momento vou voltar a sentir ela. E viver minha vida dupla mais uma vez. Não sei se ela fez algo que me desconectou de tudo isso. Talvez tenha sido a única forma de me salvar de ser pego pelos perseguidores. Eu acho que nunca amei alguém tanto. Foi tão forte que éramos um. Caralho, eu não sei se tô ficando louco, mas parece que falta algo. Ela não tem um rosto, nem nome. Mas eu a conheço profundamente. E não é um simples reflexo de mim, é outra pessoa completa que dividiu a vida comigo. Eu tô com saudades, e depois de todos esses dias vivendo com ela, tô meio perdido
submitted by extrastoned to desabafos [link] [comments]


2019.11.30 04:18 IWishIWasMoreLikeMe Galera, eu só quero falar um pouco sobre minha vida e sobre a situação ruim que passei hoje com meu pai

TLDR: Levantei o tom com meu pai que me tratou mal durante minha vida, acabei sendo enforcado, quero ajudá-lo a tratar essas emoções ruins que ele sente pois ele é uma boa pessoa, tenho medo que faça algo ruim a si mesmo antes que de fato se dê a chance que merece, meu pescoço está doendo um tanto e devo ir para o hospital(minha namorada me convenceu a ir). Vou tentar ajudá-lo, se não for possível, ajudarei minha mãe com a separação. Espero muito que as coisas deem certo.
Primeiramente, me desculpem caso esse tipo de post não devesse estar aqui, eu pretendia escrever em um local como relationship_advice mas em inglês talvez as coisas ficassem mais incompreesíveis do que já estão.
Procuro apenas visões sobre a situação em que me encontro, já ajudei bastante gente pela internet, é minha primeira vez procurando ajuda e me "expondo". Bem não quero escrever um mega texto, conforme os possíveis comentários eu posso ir oferecendo mais e melhores detalhes, mas aqui vai um tantinho sobre mim: Tenho 20+ anos, estudo de maneira autoditada sobre ciência da computação, desde pequeno gosto principalmente de computadores, linguagem e física, atualmente faço freelances em cybersecurity(consultoria, bug bounties e reversing de malware) e tento fazer o possível pra estudar um pouquinho a cada dia.
Consigo dinheiro para pagar minha internet, presentes pra minha namorada e as vezes sobra um tantinho também para investir, mas me sinto mais destruído a cada dia... Minha namorada que também é minha única amizade simplesmente tem sido tudo que me dá forças nos últimos 3 anos. Devo a ela grande parte do progresso que tenho tido em minha vida, caso ela veja isso, eu te amo muito meu anjo, muito obrigado.
Bem, meu pai tem 60+ anos, é aposentado pelo exército, e hoje trabalha como vigilante, madrugada sim, madrugada não. Tem duas filhas com outra mulher que o expulsou de casa(recentemente descobri que a mãe dele também o expulsou), porém ele ainda o envia dinheiro pra eles e paga o aluguel, até ano passado ele no papel ainda era casado com essa outra mulher, depois de muita luta minha mãe conseguiu a "União Estável"(A outra mulher ainda se achou no direito de tirar metade do pouco que ele tem...). Ele ajuda com as contas de luz, água e leva minha mãe no carro quando é preciso, as vezes resiste um pouco, mas nunca o vi negar isso.
Bem talvez já esteja óbvio, eu ainda moro com meus pais, e sinto que as coisas são mais difíceis do que o necessário há muito tempo, infelizmente grande parte da minha memória parece ter sido apagada, acredito que por conta da depressão que tive a partir de meus 13 anos e não ter tido amizades pra reforçar as lembranças... mas tenho lembranças de minha mãe chorando, deles brigando diariamente, meu pai insultando tanto a mim quanto ela, e nós sempre ficando calados diante dessas atitudes. Nós dois sempre vivemos com medo de errar, eu sempre vivi com medo de contrariá-lo e até de brincar com ele, mas eu tive o privilégio de conseguir viver mais tempo olhando pra uma tela e estudando, fugindo dessa realidade, já minha mãe teve e meio que ainda tem que conviver com ele diariamente(não tanto nos últimos tempos porque comprei um celular pra ela) uma cama pra finalmente conseguir dormir(o que claro deixou meu pai triste :\) e uma Smart TV(ela sempre quis uma), ela internou duas vezes nos últimos 4 meses por estar com fortes enxaquecas, o médico me puxou para um canto e me disse o que eu já suspeitava "Isso é psicológico, puro estresse"
Há pouco mais de 1 ano minha mãe me contou que meu pai anteriormente deu um soco nela, e no dia que ouvi isso eu simplesmente fiquei triste, eu não esperava isso dele, apesar das más experiências... na verdade eu até imaginava que algum dia ele podia partir para a violência, ele sempre foi muito raivoso, mas eu não consegui acreditar que isso já havia acontecido... Bem, meu pai sempre foi de acusar a gente de cometer erros, de fazer o que na verdade ele faz com a gente "Vocês xingam" nunca o xingamos... "Vocês não me deixam falar" Só comecei a interrompê-lo de um ano pra cá, mas já quis fazer isso incontáveis vezes no passado, quando ele não foi capaz de perceber que estávamos desconfortáveis com o que ele estava falando ou até em vezes que vi ele sendo injusto "Vocês não falam direito e querem que eu adivinhe" Logo adiante verão que ele quem fez isso hoje mais cedo... "Vocês querem me deixar louco" O que eu posso dizer que durante minha crise por volta dos 14 anos eu também desenvolvi uma paranóia aonde eu achava que todos queriam me fazer algum mal, todos eram inimigos, isso colaborou muito no meu isolamento, sem amizades, sozinho, apenas consumindo livros e passando muitas madrugadas ouvindo a mesma entrevista do Richard Feynman em loop. Bem, certo dia eu tirei coragem de algum canto, e nesse dia conheci o amor da minha vida, com ela aprendi e tenho aprendido como eu provavelmente cresci em um ambiente um tanto hostil... mas eu nunca levei essa ideia muito a sério...
Eu sempre fui chamado de burro, tanto pelas crianças a minha volta durante a infância, quanto pelo meu pai de diferentes maneiras, e confesso que eu de fato sou um tanto lentinho(apesar de minha mãe dizer que eu falo muito rápido), já fui chamado de "retardado" por uma professora de inglês e durante muito tempo eu fracassei miseravelmente em contas matemáticas porque eu simplesmente não entendia os "porquês" por trás das regras... mas na internet encontrei o necessário pra certo dia conseguir ser chamado de "inteligente" apesar de nunca ter buscado isso, apenas me distanciei das pessoas e fiquei estudando, foram duas professoras, de química e história, também deixei um professor de matemática muito orgulhoso com minha apresentação falando sobre os planetas do sistema solar e minha explicação sobre as equações descritivas da gravidade, ele foi o professor que despertou meu interesse por matemática, ele me explicou que existia lógica por trás das regrinhas, um dos melhores dias da minha vida
Já me consultei com quatro psiquiatras e uma psicóloga, mas foi no meu primeiro psiquiatra por volta dos 14 que eu acho que devo ter tido a dica de qual era meu real problema, naquele consultório eu chorei bastante nos momentos que ele perguntou sobre meu pai, infelizmente meus pais me tiraram de lá porque achavam que ele pensava demais ao invés de dar uma solução. "Ele é meio bobo" esse foi o comentário do meu pai sobre o médico, pode não parecer um comentário tão ruim, mas o "bobo" dele pra mim é algo já bastante carregado. Pois bem, estou escrevendo muito, tá quase uma copypasta isso... Indo direto ao ponto... eu subi num pé de laranja que temos atrás de casa, inclusive agradecendo por poder comer laranjas que meu pai cultiva, então ele entrou em casa irritado dizendo "Não entendo porque a mãe(sim ele chama a esposa de "mãe"...) faz certas coisas..."
Minha mãe então começou a retrucar "O que eu fiz?" "Qual foi meu erro?" E ele não estava (como de costume) comunicando diretamente o que ele viu de errado, não estava facilitando pra ela... ele tende a achar que os outros não merecem facilitação(porque ele diz que nunca teve)
Essa foi nossa segunda grande briga, na primeira vez eu levantei o tom com ele, choramos... nos abraçamos... eu falei pra ele como eu admirava ele apesar dos erros, e tentei dizer pra ele como ele precisava aprender a ser mais querido com sua esposa e começar a pedir desculpas... as coisas não mudaram muito
Bem, hoje eu resolvi me meter de novo nessa discussão deles "Qual o problema pai?" "Sua mãe disse que trocou a água dos cachorrinhos, eu fui lá e a panela não foi trocada" São cachorros pequenos que ficam no terreno nos fundos de casa
Eu acabei insistindo no fato dele ter demorado tanto pra falar o problema
"Tá mas por que você não falou logo qual era o problema pra mãe?"
"Não adianta, vocês querem me deixar louco" "Eu não quero te deixar louco, eu estou comendo laranja"
"Vão lá atrás os dois e vejam aonde tá a água"
E de fato minha mãe esqueceu de dar água para os cachorros, mas eu tentei tranquilizar a situação
"Tudo bem pai, a mãe errou faz parte, eu levo lá pra eles a água"
Eu o ouvi resmungando, e infelizmente eu já não lembro mais o que foi dito a partir daqui...
Mas quando eu voltei eu disse "Negativo!" com um tom de voz alto e levantando o dedo, eu sei que eu estava tentando mostrar pra ele como ele mais uma vez estava invertendo as coisas...
Meu pai se levantou, veio até mim e eu me afastei, meu pai continuou vindo até mim e eu o empurrei, foi então que ele começou a apertar meu pescoço... Eu coloquei minhas mãos no pescoço dele também e o empurrei pra longe Ele ficou dizendo "Quer me bater?" e eu fiquei dizendo que não, minha mãe se meteu no meio e ele ficou me olhando com raiva e acho que ele tentou mais uma vez vir pra cima de mim "Por que você fez isso?" "Você se acha mais forte do que eu!" Dessa vez ele estava levantando a voz e o dedo "Você já vem me ameaçando há muito tempo!" Eu disse pra ele que não, não era minha intenção ameaçá-lo, ele disse que eu o ameacei ao levantar o dedo e minha voz Pela... milésima vez escutei minha mãe dizer " Isso passou dos limites, não dá mais"
E bem... meu pai disse "Você ainda vai perder teu pai" e eu retruquei "E você ainda vai perder teu filho" Ele foi lá para os fundos, com as mãos nos ouvidos(ele costuma fazer isso) mas dessa vez como na primeira eu insisti... eu conversei com ele mais uma vez... ele chorou quando falei sobre o que eu acho que ele sente... choramos bastante Basicamente ele passou pelo mesmo abuso durante a infância e tem cometidos erros porque não teve um amigo pra lhe dizer as coisas que eu o tenho dito nesses últimos meses além de sempre ter se negado a ceder a um "idiota que não resolve nada" vulgo psicólogo, ele não é fã de pessoas "que se acham"... enquanto isso ele diz coisas como "Eu to sempre certo" Mas bem... nos abraçamos de novo, eu pedi desculpas por levantar o dedo e a voz com ele, ele botou as mãos no meu pescoço fazendo carinho e chorando e disse algo como "Você sabe que minhas mãos não querem te fazer mal"
Minha mãe tinha uma viagem pra ir... cancelou... a convenci de ir já que já estava paga e acredito que pode ser bom pra ela...
Meu pescoço dói bastante ainda, e minha mãe tirou fotos das marcas que ficaram(eu nem havia notado tais marcas, não costumo me olhar no espelho) Eu devo fazer BO? Dói pensar em fazer isso...
Eu não sei ao certo porque minha mãe não se separou dele, ela disse já ter tentado mas parece que "ele não sai, e eu não vou deixar minha casa" mas hoje eu tendo a achar que é por conta de eu ainda não ter um carro(tentei tirar a CNH mas a porcaria do carro no dia da prova deu problema nas 4 semanas que fui, por sermos uma família não comunicativa nem sequer processamos a auto-escola(meu pai pagou as aulas))
Bem... por enquanto é isso jovens, estou com medo, bastante triste, mas com esperança de que posso conseguir ajudar meu pai a resolver os problemas que ele não resolveu até hoje. Eu quero ele bem, só tenho medo de não estar vendo as coisas como talvez eu deveria... Eu disse pra ele que não vou relevar esse dia acima da boa pessoa que sei que ele é, meus pais não se amam mais, eu disse isso pra ele, ele parece ter concordado com essa afirmação. É uma situação aonde duas pessoas boas juntas se tornaram ruins, e infelizmente eu estou no meio dessa confusão. No momento vejo dois caminhos possíveis, eu início o "tratamento" dele conversando com ele como nunca fizemos antes na esperança dele considerar ajuda profissional, e caso eu não veja isso como possível, farei o possível pra ajudar minha mãe a se separar dele. É
Obrigado de verdade por ler um pouco sobre mim, desculpe pelo péssimo texto, cabeça tá meio zoada.
submitted by IWishIWasMoreLikeMe to brasilivre [link] [comments]


2019.08.08 16:47 Amanda3exceler Monitoramento Elite Detetives

O cliente tem total responsabilidade sobre o uso indevido destes equipamentos, respondendo civil e criminalmente por seus atos.
O serviço de monitoramento é uma novidade nossa. Não deixe que a dúvida cresça dentro de você e contate o nosso serviço, que certamente, seu caso será resolvido e esclarecido. Deixando assim a sua vida ainda mais tranquila e melhor.
O serviço de monitoramento, dever ser requerido em ocasiões de forte suspeita. Monitorando 24 horas e a uma distância grande, você consegue acabar com as suas suspeitas e evitar que seu relacionamento seja abalado sem necessidade. Além de ser uma medida interessante, em casos de sequestros e assim facilitando a localização do veículo.
Esse sistema de monitoramento é perfeito para se saber onde e de onde seu conjugue tem passado e ido, o melhor, perfeito para pessoas que não querem perder tempo seguindo, tudo por causa de uma suspeita. Deixe que o serviço de monitoramento faça por você.

PARA QUE SERVE O MONITORAMENTO?

O monitoramento pode ser útil para pessoas que possuem uma suspeita de que está sendo traída. Como funciona 24 horas, permite que a pessoa acompanhe em tempo real onde e para onde o seu conjugue tem ido. Ideal para aqueles sumiços sem explicação ou desculpas que não te convencem e te deixam ainda mais com dúvida. Mas pode ser útil em caso de sequestros para a localização do veículo.

PROCEDIMENTOS DO MONITORAMENTO

Instalando o monitoramento em seu carro, ele funcionará como GPS, que permitirá o seu acompanhamento em segurança e com conforto dentro de sua casa. Esse é o melhor jeito de conseguir sanar todas as suas dúvidas e conseguir ter um relacionamento bom e sem suspeitas.

RESULTADOS DO MONITORAMENTO

O monitoramento ajudará a saber o paradeiro de parentes, namorada, conjugue e desse modo, adquirindo esse serviço, a facilidade e a agilidade de se obter resultados será muito mais rápido. Desse modo, não deixe de utilizar o serviço de rastreamento para tirar suas suspeitas, ajudar na sua segurança e também no conforto da família.

Conheça a Elite Detetives: https://www.elitedetetives.com.b
submitted by Amanda3exceler to u/Amanda3exceler [link] [comments]


2019.07.08 06:04 mohmentira saudosas tardes na casa de veraneio

Estive aqui pensando que se ainda tivesse meu memory card camuflado do Playstation seria um ótimo presente para os dias de hoje. Souvenir, como chamam. Besteira, não mais o tenho. E o cinza é feio, é da cor do videogame. Passo a maior parte do meu dia pensando se de repente Suzana ainda pensa em mim, se de repente sente ciúmes. Em determinado momento do dia lembro que não conheço nenhuma Suzana. Jozielzinho hoje quase me fez dar um escândalo GRANDE quando percebi que havia gastado dinheiro no meu cartão. Passei mais de duas horas achando que teria que estornar todas as minhas doações para streamers de Tetris Online na Twitch TV. Felizmente consegui estornar as compras que Jozielzinho fez ao invés de minhas doações. Não é porque é meu filho e passa fome que vou deixar de presentear os responsáveis pelo meu entretenimento. Jozielzinho pode muito bem pedir dinheiro no sinal. Jogadores de Tetris são ímpares. Quando me pus a refletir sobre as sortes dos mesmos... Já pensou? Conseguir encaixar todas aquelas peças jogando aleatoriamente? Sim, porque do contrário, se jogassem atentos ao que acontece no jogo, nos primeiros 37 segundos cansariam. Eles simplesmente dominaram a arte da sorte no jogo! Fico me perguntando quanto tempo até alguém inventar a modalidade blindfolded do jogo. Jozielzinho é uma graça, quis dizer como se assistir às partidas de Tetris não fosse algo empolgante. Sempre torço para que acabem o mais rápido possível. Com esses profissionais da sorte sempre me dou mal nas apostas que faço. Geralmente aposto em menos de 3 segundos, e geralmente todo o dinheiro que junto em uma aposta. Nunca ganhei, mas sempre perco por pouco. Sempre horas, nunca dias ou meses. Pus Jozielzinho de castigo por conta dessa blasfêmia ao esporte. Pendurei-o de ponta cabeça por dois dias e meio, e agora que ele se aquietou pergunto-me se já devo tirá-lo de lá. Ah, dane-se, vou deixar para o mês que vem. Jozielzinho... Filho meu e de minha namorada. Web-namorada, sendo mais específico. Nunca nos vimos. Mas a sustento como posso, talvez um dia a consiga trazer para cá. Tem sido mais difícil desde que ela me mandou Jozielzinho. Desconfio até mesmo que possa não ser meu filho de sangue, seu nariz é um pouco diferente do meu e do de sua mãe. Rebesvalda o nome dela. Conheci no site de sinuca online. Mora no interior. Nunca conversamos muito então não sei muito mais o que dizer. Uma vez ela me mandou uma foto do pênis dela, era enorme. Fico me perguntando como as mulheres conseguem viver. Deve ser um incômodo tremendo. Vez por outra eu reparo que meu mindinho da mão esquerda treme. Isso me faz achar que eu possa estar gripado ou talvez que amanhã tenha 50% de chance de ser um dia ímpar. Perdi. Sabia que escolher um dia de um ano não-bisexto resulta em 50,96% de probabilidade de esse dia ser ímpar? E que se o ano for bisexto a probabilidade muda para 51,09%? Pois é, eu sei que não sabia. Sim, eu sei que deveria ter ficado calado.
submitted by mohmentira to circojeca [link] [comments]


2019.06.27 23:55 Empiresun036 Oraçao poderosa de amarraçao amorosa

“À rainha Maria Padilha (pomba gira); Ao São Cipriano; À Maria Mulambo (pomba gira); Ao exu duas facas Musifim; Ao exu Caveira; À Maria Arrepiada (pomba gira); À cigana Íris (em nome de todo povo cigano); À pomba gira das Calunga; À pomba gira das Almas; À rainha Yemanjá; À rosa Caveira (pomba gira); Ao exu Marambo; Às 13 Almas,
Quero que (nome da pessoa amada) nesse momento pense em mim (seu nome) querendo a todo custo me ver, ficar comigo para sempre, ouvir minha voz, me abraçar e me beijar.
Que sua boca sinta muita vontade de me beijar e que em sua mente só reflita o meu rosto e o meu nome.
Que (nome da pessoa amada) só tenha pensamentos, olhos, coração, amor, desejo, tesão, prazer, realização sexual só comigo (seu nome), que (nome da pessoa amada) me procure ainda hoje e declare seu amor por mim (seu nome) e me peça para continuar a ser sua/seu namorada(o) e sua/seu companheira(o) para o resto da sua vida, que eu (seu nome) seja o seu amor eterno.
Que (nome da pessoa amada) venha desesperadamente me ver e me peça para nunca o(a) deixar.
Que todas as entidades invocadas possam visitar agora (nome da pessoa amada) soprando meu nome (seu nome) no ouvido dele(a), fazendo com que ele(a) fique com muito medo de me perder e façam com que ele(a) (nome da pessoa amada) sinta uma saudade de doer no peito, que (nome da pessoa amada) me queira hoje e que (nome da pessoa amada) sinta um ciúmes absurdo de mim.
Que ele(a) (nome da pessoa amada) me procure hoje a noite, que passe todos os dias a desejar-me e a querer estar comigo todos os minutos da vida dele(a), que me assuma de vez em seu coração, que o primeiro nome a sair da boca dele(a) seja sempre o meu (seu nome).
Minhas entidades amadas, em quem confio e creio totalmente, tragam (nome da pessoa amada) pra mim, pra sempre.
Injetem coragem nas veias dele(a), que ele(a) me peça para ficar com ele(a) o mais rápido possível, que ele(a) (nome da pessoa amada) não aguente mais ficar longe de mim (seu nome) e que me queira com urgência.
Façam-o(a) detestar e ter nojo profundo de todas(os) as(os) outras(os) mulheres/homens. Divulgarei esta oração e vossos nomes e terão sempre a minha gratidão.
Me deem um sinal, assim já serei grata. Minhas entidades, tenho muito respeito por cada uma de vós, me atendam, vos suplico, sei que dominam tudo e qualquer pessoa, amarrem este(a) amado(a) homem/mulher para mim, (seu nome).
Que ele(a) rasteje atrás de mim eternamente e sinta loucura só em ouvir o meu nome (seu nome).
Assim está feito, assim seja, assim será pelo poder das 13 entidades invocadas.
Que tenha sonhos comigo, fazendo assim com que me ame mais a cada dia. Se estiver trabalhando, que pare com saudades de mim, que sinta prazer somente em ouvir a minha voz, sinta um desejo fora do normal como nunca sentiu por ninguém e que nunca sentirá.
Salve sete saias, minha boa e gloriosa princesa pelas sete saias que acompanhe seus passos, rogo e suplico que amarre (nome da pessoa amada) nos sete nós de sua saia e sete guizos de sua roupa. Agradeço por estar trabalhando ao meu favor.
Vou divulgar o seu nome em troca desse pedido de trazer (nome da pessoa amada) para mim para que ele(a) se torne meu/minha e largue as(os) outras(os) para sempre e fique só comigo (seu nome).
Que ainda hoje me ligue e retorne logo por não conseguir ficar longe de mim. Que venha dizendo que me quer sempre junto dele(a), assim seja, assim será e assim está feito.
Nas falanges da pomba gira rainha das sete encruzilhadas, cada vez que for feita essa oração, mais forte ela se fará, por isso vou mandar para os quatro cantos do mundo pedindo a Mãe que me conceda o pedido de estar com (nome da pessoa amada).
Que ele(a) não coma mais, nem durma, nem faça coisa alguma a não ser que esteja na minha presença. Confio no poder das sete encruzilhadas!
submitted by Empiresun036 to PrayerTeam_amen [link] [comments]


2019.06.26 23:19 raijenki Me sinto totalmente incapaz por não conseguir terminar meu mestrado.

Sentem que o texto é longo.
De muitas formas, as pessoas podem falar que sou bem sucedido: tenho graduação em uma universidade federal (geofísica/UFRN), uma especialização pela FGV, sou concursado em uma empresa pública federal, tenho um ótimo salário, moro em um apartamento em um bairro legal em outra cidade que não a minha, uma linda namorada que me apoia por mais que minhas ideias sejam estúpidas e um cachorro que adoro. Mas me sinto infeliz e até medíocre no que faço, principalmente por causa que o serviço público está longe de ser o que eu almejava para minha carreira.
Eu luto contra tudo isso, mas simplesmente não posso "largar tudo" porque isso me traz tantas consequências a curto-prazo que não estou preparado sem ter um plano B. Fato é que, desde criança (de verdade, desde os 14 anos), tenho sonhado em fazer um PhD em Ciências da Computação* no exterior, apesar dos meus eventuais desvios de caminho. Minha graduação foi medíocre no seu melhor: minhas notas foram medianas (CR: 7), minhas ICs não geraram artigos (principalmente porque meus professores não tinham direcionamento claro do que queriam fazer, e eu era muito imaturo na época) e mesmo meu orientador da graduação não terminou em bons termos comigo (e eu sinto verdadeira vergonha por isso), mesmo tendo obtido 10 no meu trabalho de conclusão de curso. O mestrado na cidade em que moro era uma chance de mudar tudo isso.
Comecei o mestrado em Ciências da Computação na federal de onde atualmente moro. Inicialmente, foi como aluno especial: cursei disciplinas que eram em horários que meu trabalho (8 às 17) permitia cursar, então haviam dias em que eu estava tendo aula na sexta-feira das 18 às 21, ou bem cedo. Passei em todas com notas altas, como 8 ou 9. Eventualmente, quando não podia cursar mais como aluno especial, entrei como regular: fiz a prova do PGComp (lembrando que nunca tive instrução formal da área) e fiquei até acima da média nacional, mas o barema da seleção aplicava um penalizador muito alto para quem não era graduado em CC, e eu sequer conseguia passar da nota de corte mesmo tirando notas altíssimas nas outras etapas. Precisei tentar três vezes, escrever recursos nos processos seletivos, conversar com muita gente até que finalmente consegui passar em primeiro lugar, e conheci o meu orientador.
Eu vejo muita gente reclamando de seus orientadores. Minha amiga doutoranda aqui da empresa tem uma verdadeira relação abusiva com o orientador dela: ele xinga ela por telefone, ameaça parar de orientá-la ou simplesmente a ignora por meses a fio. Outros amigos mestrandos tem orientadores que não tem tempo para eles. O meu vai no sentido contrário: ele sempre estava lá para me acompanhar, trocávamos e-mails com frequência, ele sempre respondia rápido e as reuniões eram praticamente semanais - isso ao menos me motivava para continuar.
Meu projeto de mestrado era/é também uma coisa relativamente simples, mas até inovadora. Conheci professores da Universidade de Pittsburgh, dos Estados Unidos, e do Centro de Supercomputação de Barcelona. Tem um pesquisador da Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega - ou seja, uma forma de atingir meu objetivo. Fora outras pessoas que fazíamos eventual contato, como um grupo de pesquisa da UFMG. As ferramentas que usávamos eram bem recentes. Enfim, do ponto de vista científico, o projeto de pesquisa é incrível.
Mas creio que por isso eu esteja tão infeliz. Em um determinado momento, a complexidade do projeto cresceu tanto que meu orientador sugeriu alunos de graduação (via IC) para me auxiliar. Tudo bem, não tenho experiência forte em programação, então é entendível, mas a medida que o tempo andava, parei de sentir que o projeto estava agregando algo para mim. Eventualmente, aquele caminho não estava dando certo e mudamos a abordagem de solução que fazíamos e fiquei sozinho novamente.
Terminei todas as disciplinas que necessitava - e até as que não são exclusivas da minha linha de pesquisa -, todas com boas notas. Fiz minha qualificação em outubro do ano passado, fui aprovado e sequer precisei corrigir meu texto. E foi aí que tudo degringolou: não consigo fazer mais nada desde então. Todos os dias, desde esse dia da qualificação, eu me sinto muito mal por não conseguir fazer nada do mestrado. Não me levem a mal, eu sei exatamente o que tenho que fazer, inclusive deixando em "pedras fundamentais", mas não consigo me fazer trabalhar nisso - faço até o trabalho do meu trabalho profissional (e acho muito mais divertido), mas minha mente sequer deixa eu analisar as linhas do código de meu projeto.
Eu me sinto mal, verdadeiramente mal. Meu orientador foi passar um tempo como professor visitante em Pittsburgh, e ele sempre manda e-mails perguntando como estou, se preciso de ajuda ou similar. Com o tempo, parei de respondê-lo: tenho autoconsciência de que preciso fazer, mas estou fugindo de mim mesmo - e sinto profunda vergonha disso. Ou da minha incapacidade. Ele também parou de me procurar, então assumi que ele pensa que, quando chegar a hora ou o prazo estiver muito apertado, devo procurá-lo.
Minha deadline para o mestrado é de pouco mais de 3 meses; e eu sei que mesmo que eu volte a fazer algo, não vou conseguir fazer algo verdadeiramente digno a tempo, então provavelmente vou ter que desistir desse investimento de quase quatro anos e isso verdadeiramente me corrói. Já pensei na possibilidade de ir a um psicólogo ou até um psiquiatra, mas não creio que seja o caso - já tive experiência com ambos, e não acho que eles possam me ajudar. Mas, nessa narrativa, também não consigo encontrar onde está meu problema.
É isso.
submitted by raijenki to desabafos [link] [comments]


2019.06.24 18:48 Empiresun036 Oracao amarracao

“À rainha Maria Padilha (pomba gira); Ao São Cipriano; À Maria Mulambo (pomba gira); Ao exu duas facas Musifim; Ao exu Caveira; À Maria Arrepiada (pomba gira); À cigana Íris (em nome de todo povo cigano); À pomba gira das Calunga; À pomba gira das Almas; À rainha Yemanjá; À rosa Caveira (pomba gira); Ao exu Marambo; Às 13 Almas,
Quero que (nome da pessoa amada) nesse momento pense em mim (seu nome) querendo a todo custo me ver, ficar comigo para sempre, ouvir minha voz, me abraçar e me beijar.
Que sua boca sinta muita vontade de me beijar e que em sua mente só reflita o meu rosto e o meu nome.
Que (nome da pessoa amada) só tenha pensamentos, olhos, coração, amor, desejo, tesão, prazer, realização sexual só comigo (seu nome), que (nome da pessoa amada) me procure ainda hoje e declare seu amor por mim (seu nome) e me peça para continuar a ser sua/seu namorada(o) e sua/seu companheira(o) para o resto da sua vida, que eu (seu nome) seja o seu amor eterno.
Que (nome da pessoa amada) venha desesperadamente me ver e me peça para nunca o(a) deixar.
Que todas as entidades invocadas possam visitar agora (nome da pessoa amada) soprando meu nome (seu nome) no ouvido dele(a), fazendo com que ele(a) fique com muito medo de me perder e façam com que ele(a) (nome da pessoa amada) sinta uma saudade de doer no peito, que (nome da pessoa amada) me queira hoje e que (nome da pessoa amada) sinta um ciúmes absurdo de mim.
Que ele(a) (nome da pessoa amada) me procure hoje a noite, que passe todos os dias a desejar-me e a querer estar comigo todos os minutos da vida dele(a), que me assuma de vez em seu coração, que o primeiro nome a sair da boca dele(a) seja sempre o meu (seu nome).
Minhas entidades amadas, em quem confio e creio totalmente, tragam (nome da pessoa amada) pra mim, pra sempre.
Injetem coragem nas veias dele(a), que ele(a) me peça para ficar com ele(a) o mais rápido possível, que ele(a) (nome da pessoa amada) não aguente mais ficar longe de mim (seu nome) e que me queira com urgência.
Façam-o(a) detestar e ter nojo profundo de todas(os) as(os) outras(os) mulheres/homens. Divulgarei esta oração e vossos nomes e terão sempre a minha gratidão.
Me deem um sinal, assim já serei grata. Minhas entidades, tenho muito respeito por cada uma de vós, me atendam, vos suplico, sei que dominam tudo e qualquer pessoa, amarrem este(a) amado(a) homem/mulher para mim, (seu nome).
Que ele(a) rasteje atrás de mim eternamente e sinta loucura só em ouvir o meu nome (seu nome).
Assim está feito, assim seja, assim será pelo poder das 13 entidades invocadas.
Que tenha sonhos comigo, fazendo assim com que me ame mais a cada dia. Se estiver trabalhando, que pare com saudades de mim, que sinta prazer somente em ouvir a minha voz, sinta um desejo fora do normal como nunca sentiu por ninguém e que nunca sentirá.
Salve sete saias, minha boa e gloriosa princesa pelas sete saias que acompanhe seus passos, rogo e suplico que amarre (nome da pessoa amada) nos sete nós de sua saia e sete guizos de sua roupa. Agradeço por estar trabalhando ao meu favor.
Vou divulgar o seu nome em troca desse pedido de trazer (nome da pessoa amada) para mim para que ele(a) se torne meu/minha e largue as(os) outras(os) para sempre e fique só comigo (seu nome).
Que ainda hoje me ligue e retorne logo por não conseguir ficar longe de mim. Que venha dizendo que me quer sempre junto dele(a), assim seja, assim será e assim está feito.
Nas falanges da pomba gira rainha das sete encruzilhadas, cada vez que for feita essa oração, mais forte ela se fará, por isso vou mandar para os quatro cantos do mundo pedindo a Mãe que me conceda o pedido de estar com (nome da pessoa amada).
Que ele(a) não coma mais, nem durma, nem faça coisa alguma a não ser que esteja na minha presença. Confio no poder das sete encruzilhadas!
submitted by Empiresun036 to PrayerTeam_amen [link] [comments]


2019.06.23 23:56 d3rr1c53xpl0r3r Como tudo aconteceu (Na minha Cabeça)

Depois de ter ouvido todos os 24 episódios do Caso Evandro é impossível não formar uma narrativa própria na sua cabeça. Ao longo desses 24 episódios você transita entre a culpabilidade e inocência dos sete acusados. Impossível não, já que num caso tão conturbado quanto esse e com tantas variáveis fica difícil acreditar 100% em qualquer depoimento ou confissão. Pensei em esperar que todos os episódios saíssem antes de fazer esse post, mas aí lembrei que o Ivan mencionou que dará o seu parecer pessoal de como acha que as coisas aconteceram. Então para que não haja “Depois de ter ouvido fica fácil falar”, eu vou postar agora. Até para que eu não me influencie pela versão dele. Caso nos próximos episódios alguma coisa bombástica venha à tona e mude a minha opinião, eu irei colocar edits na minha postagem.
Só para que vocês entendam um pouco sobre mim venho de uma família umbandista e cresci entremeio sessões espiritas em casa, centros de umbanda e candomblé e “presenciei” sacrifícios de animais (Por ser pequeno na época, nunca me deixaram ver o ato, mas via o resultado nos dias seguintes. Como já ficou claro, as vísceras têm que ficar no alguidar por 3 dias antes de serem descartadas em água corrente, ou levadas a uma encruzilhada). Meu avô (Já falecido) era pai de santo e minha tia filha de santo e atendíamos apenas família e vizinhos próximos. Nunca tivemos um centro propriamente dito. E como isso já faz bastante tempo, obviamente algumas coisas me somem à memoria então fui pesquisar mais sobre o assunto.
Antes que eu comece, até para que vocês entendam um pouco melhor sobre as religiões Afro-Brasileiras, existem VÁRIAS vertentes. Sabe aquela coisa de brasileiro “gourmetizar” as coisas? (isso será importante na minha versão da história) Pois bem, com essas religiões não é diferente. Primariamente vieram da África com seus escravos TRÊS religiões, a Umbanda, a Quimbanda (ou Kimbanda) e o Candomblé. Sendo a umbanda e a quimbanda cultos semelhantes. Na “Umbanda Branca” temos o trivial de sessões espiritas, atendimento aos consulentes e o famoso passe (Algo apenas para dar uma paz de espirito a quem precisa, limpeza de aura e etc.) e oferendas à Yemanjá, Oxalá, Xangô, Ogum, Oxossi, Iori, Iorimá, que são as 7 linhas da umbanda. Na “Umbanda Negra” ou Quimbanda também há 7 linhas, todas chefiadas (encabeçadas) por diferentes Exus, que esses por sua vez em troca de sua sabedoria e conhecimento de outros Exus da gira (networking) pedem oferendas mais “caras”, oferendas de sacrifício de sangue. Dependendo do que lhes é pedido os tipos de oferenda variam desde uma simples galinha até humanos. Na África até hoje esses sacrifícios acontecem segundo o que pude encontrar (Não sei se é verdade). Eu poderia fazer um post apenas sobre isso, pois é uma assunto MUITO extenso e complexo. Pois bem, abaixo vocês podem conferir a minha versão do acontecido. Algumas coisas apenas os envolvidos sabem e ninguém NUNCA saberá a verdade.
Chega em Guaratuba no começo de Janeiro de 1992, o “Pai-de-Santo” e jogador de Búzios Osvaldo Marceneiro com sua então namorada Andrea Barros e os mesmos tentam estabelecer negócio na feira de artesanato no centro da cidade. Antes que os outros integrantes da feira se opusessem a permanecia de Osvaldo na feira, o mesmo conhece Beatriz Abagge que como declarou varias vezes gostava de misticismo e coisas do gênero. Após algumas leituras de Búzios os dois se tornaram próximos e assim começaram um relacionamento de amizade. Beatriz por sua vez leva seus pais a uma consulta em 29 de Janeiro de 1992.
Osvaldo por morar no imóvel de Carmelita Cristofolini, ficou sabendo do terreiro da Mae Hortência o qual Beatriz Abbage também frequentava. Carona vai e carona vem, já que Osvaldo não tinha carro (como declarou), os dois vão ficando cada vez mais próximos. Beatriz Abagge recém separada de seu noivo, estava obviamente em busca de respostas e um direcionamento em sua vida e recorreu a ajuda de Osvaldo nos búzios (Aquela coisa de mulher, “será que ele vai voltar”, “será que ele ainda gosta de mim” e etc.). Contundo Osvaldo oferece não apenas o consolo espiritual, mas também um consolo emocional e o que era amizade acaba se tornando um affair. Aí pronto, isso é o suficiente para que Beatriz comece mover montanhas por Osvaldo. Logo após isso os outros integrantes da feira de artesanato começam uma movimentação para que Osvaldo e Andrea sejam removidos da feira e com o apoio de Beatriz, Osvaldo vai à prefeitura de Guaratuba para pedir ao Prefeito Aldo Abagge que o conceda um alvará de funcionamento na Feira. Com isso Osvaldo conhece Davi Dos Santos Soares que era o Vice-Presidente do conselho dos artesãos e esses se tornam amigos. (Não sei ao certo, ou não me lembro de onde Vicente de Paula e Osvaldo se conhecem ou quando se conhecem). Pois bem, Osvaldo consegue a permissão para permanecer na feira lendo os seus Búzios.
Osvaldo, um jovem que na verdade era FILHO-de-Santo precisa se “firmar” para conseguir se tornar um Pai-de-santo propriamente dito e abrir o próprio Terreiro em Guaratuba com a ajuda de Beatriz Abagge. Osvaldo foi vulgarmente chamado de “pai-de-santo” por todos por ignorância dos que não conhecem como a religião de fato funciona. Só é considerado “Pai-de-Santo” quem tem um terreiro e passa por uma iniciação feita por um outro Pai-de-Santo que tem um terreiro em funcionamento. No caso da região de Guaratuba já existia um terreiro, o da Mãe Hortência, e por motivos não sabidos talvez a Mae Hortência não quis iniciar Osvaldo (O que já é um red flag). Pois bem, Osvaldo ambicioso e com sede de se estabelecer de vez em Guaratuba pois agora estava apaixonado por Beatriz vai atrás de informações para fazer a sua própria iniciação como Pai-de-Santo na umbanda. Entendam, para que alguém se torne Pai-de-Santo, o mesmo deve possuir amplo conhecimento sobre a religião, linhas de trabalhos, tipos de espirito, como proceder no caso de algo dar errado numa sessão, e principalmente, o quão forte o “cavalo” é, se aguenta a pressão imposta pelos espíritos. (Algo que não mencionei no texto acima sobre as religiões, é que Umbanda e Quimbanda se entrelaçam de uma maneira homogenia. Quem segue uma acaba seguindo a outra indiretamente, já que as duas juntas são o ponto de equilíbrio. Sendo uma sempre contraria à outra.).
Já envolvido com Vicente de Paula e Davi dos Santos Soares, Osvaldo começa a busca de sua primeira oferenda. Oferenda essa para se auto iniciar como Pai-de-Santo. Com isto, o menino Leandro Bossi desaparece em 15 de Fevereiro de 1992. Não temos detalhes sobre esse acontecido pois como tudo consta o menino Leandro continua “desaparecido”. Há “informações” de que o corpo havia sido descartado no mesmo rio onde o saco com partes de Evandro seriam encontrados mais adiante, porem nada de concreto foi constatado. Vale ressaltar que não acredito que Beatriz e Celina estejam envolvidas nesse desaparecimento, inclusive acho que Beatriz na época do ocorrido em Fevereiro não ficou sabendo que havia sido Osvaldo o responsável por isso, pois ate então os dois não eram tão próximos assim e obviamente Osvaldo não queria assustá-la. Pois entendam, somente quem segue a religião e a estuda, entende a razão do sacrifício e não encara isso como um crime, pois o está fazendo por suas crenças e o vê como necessário para obter o que almeja. (Não estou de maneira nenhuma defendendo a prática, e de fato apesar da religião requerer tais sacrifícios os mesmos não deverão ser praticados pois envolve o assassinato cruel de um semelhante. Aqui sem dúvida entra a linha tênue entre a crença e a moral do ser humano)
O menino Leandro continua desaparecido e ninguém tem pistas, apenas o relato de Diógenes de ter visto Leandro na garupa da moto com Osvaldo (?). Portanto esse acontecido segue em paralelo enquanto as vidas dos 7 acusados continuam e tudo está maravilhoso. Osvaldo, De Paula e Davi estava certos que nunca ninguém descobriria o que aconteceu, como de fato não descobriram, pois, o retrato do Menino Leandro Bossi continua na pagina do SECRIDE na seção de crianças desaparecidas, ou seja, não falecidas. Portanto não há materialidade para se constatar que um homicídio ocorreu.
Passam-se então quase dois meses até que cheguemos ao desaparecimento do menino Evandro Ramos Caetano. Nesses dois meses, na minha cabeça entendo que muitas coisas aconteceram, principalmente entre Beatriz Abagge e Osvaldo Marceneiro. Os dois com certeza se tornaram ainda mais próximos, porem Osvaldo tinha Andrea, a qual já suspeitava do affair entre os dois. Daí vem os relatos de ciúmes excessivo de Osvaldo e de possíveis agressões. Só quem trairia (ou trai), acha que está sendo traído. Pensem, o affair de Osvaldo e Beatriz jamais poderia vir à tona, por várias razões. Primeiro, Osvaldo era juntado com Andrea que veio com ele pra Guaratuba, ela talvez não tivesse pra onde ir caso os dois se separassem e por esse motivo Osvaldo talvez se sentisse responsável por ela, já que a mesma o acompanhou ate Guaratuba. Segundo, Beatriz era filha do prefeito e da poderosa Família Abagge, e não poderia ser vista com tendo um caso com um “Pai-de-Santo”. Isso iria colocar em xeque a credibilidade da família perante a política local e até mesmo estadual. Sem mencionar que na cidade o mesmo já era visto com maus olhos pelos artesãos e obviamente pelo eleitorado católico, predominante em cidades do interior brasileiro, incluindo Celina Abbage.
Porém, sabem como é não é verdade? Basta apenas que uma dádiva seja concedida para que o descrente se torne crente. Nesses dois meses Osvaldo dever ter feito alguma previsão que se tornou realidade, ou fez algum trabalho (Oferenda) para Beatriz que se provou frutífero e a mesma juntada de seus sentimentos por Osvaldo mergulhou de cabeça na idéia. Nesse interim Beatriz começou um trabalho de convencimento com seus pais com prováveis “Tá vendo, não disse que ele é serio” ou “Desde que o Osvaldo começou a fazer trabalhos nossa vida tem melhorado, estamos abrindo o Centro pra cuidar das crianças, você esta trazendo o partido pra cidade, vai Lançar a Denise como candidata e etc.” ou coisas do tipo. O que não sabíamos no começo do podcast mas ficou claro nos últimos episódios é que Celina era extremamente arrogante, ambiciosa e sedenta por poder. Logo, ao ver que as coisas estavam andando na vida da família atribuiu tudo (por influencia de Beatriz) à Osvaldo, esquecendo assim o seu catolicismo e se convertendo ao “Osvaldicismo”.
Osvaldo, sabendo que sua influência na família Abagge havia aumentado consideravelmente em poucos meses propõe à beatriz que abrissem um centro de Umbanda junto com De Paula e Davi que já estavam próximos ao “casal” nesta época. O único problema é em que cidades pequenas, notícias envolvendo a família do prefeito correm rápido. Logo ficou sabido que Beatriz estava envolvida na abertura de um centro de umbanda com Osvaldo. O que fez com que a mesma, até por pedido de seu próprio pai deixasse a idéia de lado pois não seria bom por motivos políticos. Enfim, com algumas coisas indo bem pra família Abagge atribuídas à Osvaldo faltavam as coisas principais serem “consertadas”. A serraria que não andava muito bem das pernas (e da onde provavelmente vinha o sustento de toda a família, já que pelo que dá a entender Beatriz, suas irmãs e sua mãe não tinham renda alguma ainda que estavam envolvidas em projetos aqui e acolá) e a força política que Aldo e Celina tanto queriam e que estava sendo ameaçada por Diógenes (com seus panfletos) e pelo outro candidato da oposição (o qual não me recordo o nome).
A família Abagge convencida de que Osvaldo tinha o poder de interceder por eles e ajudar a família a sair dos problemas políticos e financeiros que os afligiam pedem ajuda à Osvaldo. Agora lembrem-se de que Osvaldo não tinha nenhuma outra ocupação a não ser jogar búzios e ser “Pai-de-Santo”. Depois de meses de consultas com a população de Guaratuba e seu envolvimento com Beatriz, Osvaldo vê neste apelo a chance de fazer um pé de meia. Neste momento Osvaldo descreve à Beatriz o que deveria ser feito, quanto custaria e quem participaria. Acredito que Beatriz ao ouvir o que deveria ser feito deve ter se assustado e não deve ter concordado de primeira, porem Osvaldo lhe diz que é a única maneira de conseguir tais benefícios. Depois de conversa com sua família Beatriz e Celina decidem proceder com as orientações de Osvaldo. Começa então a segunda caçada ao próximo menino que teria de ser sacrificado. Entra aqui agora a parte da “Gourmetização” da religião. Osvaldo por conveniência ou não, não posso afirmar, envolveu o número 7 neste trabalho. Pois lembrem-se, há de fato 7 linhas de trabalho nas religiões afro-brasileiras. Coincidência ou não, neste caso acredito que não. Osvaldo, além de ter 7 letras, é um nome o qual a soma de suas letras pela numerologia também é 7. Evandro, além de ter 7 letras, também soma o número 7 quando usamos a numerologia. E o suposto ritual acontece no dia 7 de Abril 1992. Neste caso, não acredito que sejam apenas coincidências, pois são muitas. É aquele velho ditado, onde há fumaça há fogo. São muitas coincidências juntas, porém vamos chegar nessa parte quando falarmos sobre as torturas.
Após a aceitação da proposta de Osvaldo, a família Abagge, começa a premeditação do ritual. Se o que falei sobre o número 7 no parágrafo acima confere, então Evandro se torna um alvo. Pois lembrem-se, para que o menino escolhido se encaixasse nos parâmetros, eles deveriam saber o nome do garoto, não poderia ser qualquer garoto. Então assim, as Abagge começam a pensar nos meninos os quais elas sabiam o nome e que poderiam se encaixar no pedido de Osvaldo. Os pais de Evandro estavam diretamente ligados à prefeitura, sendo sua mãe Maria trabalhando na Escola onde Evandro frequentava e o seu Pai Ademir na prefeitura. Logo, a família Abagge conhecia a família Ramos Caetano muito bem, e sabia o nome de seus filhos. Por um infortúnio Evandro se encaixava perfeitamente. Agora, colocando de lado o simbolismo do número 7, Evandro só estava na hora errada no lugar errado e fui abduzido pois era um menino. Pensem, proveniente de uma família humilde, os Ramos Caetano jamais pensariam que a família Abagge, a mais poderosa de Guaratuba faria uma coisa dessas. Mas sabe aquele negócio de é tão óbvio que ninguém nunca suspeitará? Pois então, mas o que eles não esperavam é que Diógenes estaria à espreita aguardando um passo em falso para que ele atacasse.
Eis que no dia 6 de Abril de 1992 por volta de 9:30 da manhã por um acaso (ou não, pois acredito que o menino Evandro não fazia aquele trajeto todos os dias naquele mesmo horário. Naquele dia ele não havia tomado café (ou esquecido o mini-game) e foi até em casa buscar na hora do recreio) enquanto passando pelas redondezas da casa dos Ramos Caetano, as Abagge avistam o menino Evandro indo pra casa e o seduzem com balas para dentro do carro. Voltando à simbologia do numero 7, lembrem-se de que o ritual seria feito no dia 7, logo elas deveriam ter o menino um ou dois dias antes apenas, pois o mesmo deveria estar vivo no momento do sacrifício e não teriam onde deixar o menino por um longo período de tempo caso o tivessem raptado por muito tempo antes de poder fazer o ritual.
Vale voltar um pouco no tempo para mencionar o relato de Diógenes dizendo que Osvaldo havia espalhado pela cidade que uma grande tragédia iria acontecer e iria virar a cidade de pernas pro ar. Aqui é a parte onde ele mesmo começa a entregar a corda pra que fosse enforcado mais adiante. Sabendo do ritual que aconteceria, já que as Abagge haviam concordado, Osvaldo viu aí a oportunidade de se tornar “famoso” pois ele haveria previsto um acontecimento antes que o mesmo houvesse ocorrido, OU, o mesmo de fato viu nos búzios que algo viraria a cidade de pernas pro ar, mas não sabia que ele estaria envolvido. Afinal, ninguém comete um crime esperando ser pego, certo?
Depois do rapto do menino Evandro no dia 6 começam os preparativos para o ritual no dia seguinte, dia 7. Airton Bardelli, já envolvido com Osvaldo por intermédio de Beatriz recebe a ordem de que no dia seguinte todos da serraria deveriam ser dispensados mais cedo às 6 horas da tarde, para que o trabalho pudesse acontecer às 7 (?). Aqui fica a minha duvida, e eu não sei responder essa questão de como Bardelli e Cristofolini entram no ritual. Será que apenas para composição de quórum, já que Osvaldo disse que precisariam de 7 pessoas? Osvaldo pediu à Cristofollini, seu então vizinho para que apenas os ajudasse compondo o grupo, e a mesma coisa à Bardelli por parte de Beatriz já que Bardelli estaria na Serraria e seria responsável pelos funcionários não estarem lá? Isso é uma das coisas que jamais saberemos. Porém, não acredito na parte que a serraria ficou fechada uma semana para que eles pudessem limpar o local e etc., qualquer idiota colocaria um pedaço grande de lona ou plástico para forrar o chão e não ter que lavar ou limpar o sangue depois. Se eles não o fizeram assim, foram burros – fica a dica pra próxima rs.
O Ritual acontece de acordo como relatado, onde o menino Evandro é oferecido em forma de sacrifício para um Exu (Não para o Diabo, não para Satã, não para nada disso). Acreditem ou não, mas Exus em sua grande maioria não são espíritos maus, são apenas mensageiros entre o mundo dos vivos e dos mortos os quais cobram pelos seus serviços (em forma de oferendas). Contudo, há também Exus de má índole, que são espíritos não evoluídos e que agem pelo lado errado da gira. Qual o Exu ao qual o menino Evandro foi oferecido, nunca saberemos. Após o ritual ser terminado os 7 deixam a serraria e Beatriz e Celina voltam pra casa, e Celina vai à tal festa com Aldo. Osvaldo, De Paula, Davi, Bardelli e Cristofolini se dirigem às suas casas. Aqui fica aquela confusão sobre o dia 6 ou dia 7, bar da dobradinha, jantar na casa de Antonio Costa. E também onde Andrea desmente o álibi de todos, pois diz ter visto Osvaldo e De Paula saindo com roupa de trabalho e sendo buscado por Beatriz. Mais um indício de que Osvaldo e Beatriz estavam tendo um affair o qual Andrea já sabia e por vingança não encobriu o seu namorado.
Voltando ao dia 6, após o desaparecimento de Evandro, sua família obviamente estava recorrendo a qualquer tipo de ajuda. Nisso chega a notícia no terreiro da mãe Hortência por meio de Davina de que o menino havia sumido e a família estava pedindo que pessoas se dirigissem à casa da família para orações. Não obstante, Vicente de Paula vai à casa dos Ramos Caetano e recebe a entidade que se propõe a ajudar porem não quer fazer naquele momento pois o “cavalo” não está com a roupa adequada. A entidade pede que o mesmo coloque sua roupa enquanto vai na “gira” ver se consegue achar o menino e que depois voltaria. Acho que é aqui que o resto está na casa de Antonio costa jantando após a sessão no terreiro. Depois do jantar quem vai ajudar na busca é Osvaldo com Davi dos Santos (que não é o “Cheiro” rs) junto com Davina e seu marido Mario. Quando a entidade pede que seja levada a uma rua que tenha palmeiras Osvaldo sinaliza que sentiu uma presença forte no final da rua perto do mato. Aqui na minha opinião, Osvaldo entrega mais um pouquinho de corda para ser enforcado na tentativa de fazer o seu nome como Pai-de-Santo. Depois da profecia de que haveria uma tragédia na cidade ele deve ter achado por bem profetizar a presença do menino naquela região pois já havia planos de desová-lo lá após o ritual. Porém isso foi mais uma bala na arma de Diógenes.
Cinco dias depois quando o corpo é encontrado no Sábado dia 11 de Abril a 30 metros do local onde Osvaldo havia sentido uma “presença forte”, as coisas começam a ficar suspeitas. Infelizmente o corpo encontrado está além do reconhecimento e fica difícil a confirmação porem como já sabemos o corpo encontrado está sem as mãos, sem alguns dedos dos pés, sem orelhas e olhos e sem órgãos internos incluído coração. E tudo isso é explicado nas doutrinas, a falta das mãos é para fortuna, do pênis para impotência, e assim vai. Não me recordo de todos. E é aqui que as coisas começam a ficar esquisitas e se esclarecer ao mesmo tempo. Mesmo que o corpo encontrado não seja de Evandro, seja de Leandro Bossi por exemplo. Os cortes citados, as partes faltantes do corpo são por coincidência de acordo com a doutrina de sacrifícios?! Não acredito, e tem mais, aqui cai por terra também a teoria de que Diógenes teria conspirado contra as Abagge. Pelos depoimentos de Diógenes ele se mostrou TOTALMENTE ignorante às religiões aqui envolvidas. Portanto, ele não saberia o que fazer com o corpo para que parecesse que um ritual de sacrifício tivesse sido realizado no corpo em questão. E mais, se hoje nem na internet se encontra tais instruções podemos imaginar em 1992. Só quem de fato é praticante há MUITOS anos tem acesso a como praticar tais rituais. Pois não é apenas pegar um corpo X cortar e tchau, como o nome diz é um ritual, portanto existem musicas, palavras a serem faladas dentre outras coisas e só quem estuda há um bom tempo sabe o que fazer.
Portanto quando Diógenes faz a sua denuncia no dia 29 de Maio de 1992 quase DOIS meses depois do ocorrido, ele se baseia em “fofocas” porém também em outros fatos, como sobre a do “Grupo Tigre” estar próximo à família Abagge durante as investigações. Se depois de dois meses ninguém sabe absolutamente nada, é porque alguma coisa tem, concordam? Depois da sua denuncia ao ministério público, o mesmo acha por bem colocar o “Grupo Águia” da PM em uma investigação paralela à da Polícia Civil que nada fez por dois meses. Aqui na minha opinião entra a parte onde Diógenes tinha sim uma agenda contra a Família Abagge. Por N motivos ele não gostava deles em especial à Celina que causou o divórcio de seus pais. Após ficar sabendo de tudo que ficou por intermédio de conhecidos, Davina, Edézio, Jorge Banana e cia, ele foi mais do que correndo colocar a sua denuncia pois então ainda que não tivesse provas concretas pra ele tudo aquilo fez sentido e ele tinha nas mãos o que sempre quis.
Não acredito que as testemunhas tenham mentido a pedido de Diógenes. E entendo o fato delas não terem se pronunciado no dia, ou dias depois. Morando numa cidade pequena onde todos se conhecem, a família mais poderosa e talvez mais rica da cidade se envolve num crime hediondo desses, você se pronunciaria? Eu não me pronunciaria, e é a verdade. No caso de Edézio, ele ficou sem saída porque seu amigo Hamilton ao qual ele havia confidenciado ter visto as Abagge raptando o menino Evandro contou ao Diógenes que por sua vez deve ter obrigado ele a prestar depoimento do que havia visto. Não há nada de estranho nisso. A mesma coisa com o Jorge Banana, se eu estou pescando e vejo um saco cheio de restos mortais do que poderia ser um feto, meu barco viraria uma lancha de tão rápido que eu sairia de lá. E com peixe ou sem peixe no meu barco eu JAMAIS puxaria o saco pra dentro do barco. E é isso que talvez destrua a credibilidade das testemunhas, o MEDO. Ninguém quer admitir que tem medo, mas a grande maioria das pessoas tem, e por não querer admitir isso em juízo ou em depoimento acaba passando por mentiroso. Pois é muito fácil falar, “Ah, mas você viu que tinha mãos dentro do saco, cabelo e não pegou o saco?!”. Não, eu também não pegaria. Agora, se eu soubesse do que tinha acontecido (Coisa que Jorge Banana não sabia à época do ocorrido), e visto um saco com as coisas eu chamaria a policia sem dúvida alguma, porém se não soubesse, aquele saco de cal iria ficar lá pra sempre.
Finalmente chegamos às prisões dos dias 1,2 e 3 de Julho de 1992, onde os 7 acusados são presos. Aqui eu vou ser bem sucinto e explicito nas minhas opiniões. Eu acredito que todos tenham sofrido tortura sim, sem sombra de dúvidas. Porém pra confessar aquilo que de fato haviam cometido porque jamais confessariam de uma outra forma. Não defendo tortura e não acho que esse deveria ter sido o caminho a ser seguido. E acho que a maneira com a qual a PM conduziu as prisões e os interrogatórios foi o que estragou o caso. Se eles não tivessem torturado os réus a argumentação da promotoria teria sido muito mais forte e o único argumento da defesa seria o de que o corpo encontrado não era o de Evandro.
Agora as perguntas que ficam e talvez a chave de todo esse mistério é, se o corpo encontrado não é o de Evandro como afirma piamente até hoje o Delegado Luis Carlos de Oliveira, porque os acusados colocaram as roupas de Evandro no cadáver? O que eles tentaram fazer aqui? Encobrir uma morte com outra? Desovar o cadáver de Leandro Bossi que estava na geladeira que a Celina tirou da serraria como relatou Teresinha e por isso tinha marcas roxas e já estava em estado de putrefação como se fosse Evandro? O que vocês acham? Isso vai ficar no imaginário de cada um, pois nunca saberemos.
submitted by d3rr1c53xpl0r3r to ProjetoHumanos [link] [comments]


2019.06.23 06:40 fidanza97 saudosas tardes na casa de veraneio

Estive aqui pensando que se ainda tivesse meu memory card camuflado do Playstation seria um ótimo presente para os dias de hoje. Souvenir, como chamam. Besteira, não mais o tenho. E o cinza é feio, é da cor do videogame. Passo a maior parte do meu dia pensando se de repente Suzana ainda pensa em mim, se de repente sente ciúmes. Em determinado momento do dia lembro que não conheço nenhuma Suzana. Jozielzinho hoje quase me fez dar um escândalo GRANDE quando percebi que havia gastado dinheiro no meu cartão. Passei mais de duas horas achando que teria que estornar todas as minhas doações para streamers de Tetris Online na Twitch TV. Felizmente consegui estornar as compras que Jozielzinho fez ao invés de minhas doações. Não é porque é meu filho e passa fome que vou deixar de presentear os responsáveis pelo meu entretenimento. Jozielzinho pode muito bem pedir dinheiro no sinal. Jogadores de Tetris são ímpares. Quando me pus a refletir sobre as sortes dos mesmos... Já pensou? Conseguir encaixar todas aquelas peças jogando aleatoriamente? Sim, porque do contrário, se jogassem atentos ao que acontece no jogo, nos primeiros 37 segundos cansariam. Eles simplesmente dominaram a arte da sorte no jogo! Fico me perguntando quanto tempo até alguém inventar a modalidade blindfolded do jogo. Jozielzinho é uma graça, quis dizer como se assistir às partidas de Tetris não fosse algo empolgante. Sempre torço para que acabem o mais rápido possível. Com esses profissionais da sorte sempre me dou mal nas apostas que faço. Geralmente aposto em menos de 3 segundos, e geralmente todo o dinheiro que junto em uma aposta. Nunca ganhei, mas sempre perco por pouco. Sempre horas, nunca dias ou meses. Pus Jozielzinho de castigo por conta dessa blasfêmia ao esporte. Pendurei-o de ponta cabeça por dois dias e meio, e agora que ele se aquietou pergunto-me se já devo tirá-lo de lá. Ah, dane-se, vou deixar para o mês que vem. Jozielzinho... Filho meu e de minha namorada. Web-namorada, sendo mais específico. Nunca nos vimos. Mas a sustento como posso, talvez um dia a consiga trazer para cá. Tem sido mais difícil desde que ela me mandou Jozielzinho. Desconfio até mesmo que possa não ser meu filho de sangue, seu nariz é um pouco diferente do meu e do de sua mãe. Rebesvalda o nome dela. Conheci no site de sinuca online. Mora no interior. Nunca conversamos muito então não sei muito mais o que dizer. Uma vez ela me mandou uma foto do pênis dela, era enorme. Fico me perguntando como as mulheres conseguem viver. Deve ser um incômodo tremendo. Vez por outra eu reparo que meu mindinho da mão esquerda treme. Isso me faz achar que eu possa estar gripado ou talvez que amanhã tenha 50% de chance de ser um dia ímpar. Perdi. Sabia que escolher um dia de um ano não-bisexto resulta em 50,96% de probabilidade de esse dia ser ímpar? E que se o ano for bisexto a probabilidade muda para 51,09%? Pois é, eu sei que não sabia. Sim, eu sei que deveria ter ficado calado.
submitted by fidanza97 to brasil [link] [comments]


2019.06.21 22:29 toukeny Depressão

“Você precisa se afastar do que te faz mal”, as pessoas falam. Mas e quando o que me faz mal é eu mesmo?
Me afogo em músicas tristes, sei que isso me corrói, mas ao mesmo tempo é reconfortante saber que outras pessoas passam pelo que eu tô passando
Tento me anestesiar e preencher o meu vazio com bebidas e até mesmo com cigarros, coisa que eu odiava há um tempo... mas pra um deprimido solitário, um cigarro na boca é tipo uma válvula de escape, cada trago me leva pra um paraíso efêmero, com um momento rápido de prazer. E não, eu não tô romantizando o cigarro, inclusive se eu pudesse dar um conselho para as pessoas, seria: fiquem longe dessa porra que é o cigarro, se for pra fumar, fumem maconha que é melhor e não faz tanto mal para os pulmões.
Eu sinto que a vida não faz sentido, não faz sentido eu acordar amanhã e viver o mesmo sofrimento que eu vivi hoje, eu queria não acordar. Não tenho uma motivação pra acordar.
Viver pra mim é um castigo, um castigo longo que eu pago por ter nascido. Eu não queria ter nascido. Pra que nascer e ser um bosta depressivo que não tem talento nenhum, e que ainda por cima é um fardo na vida das pessoas? Passo o dia todo deitado, só dando gastos pras pessoas aqui de casa. Isso não faz sentido. Nada faz sentido. Eu me sinto cansado de estar cansado.
Essa porra tá afetando até a minha higiene pessoal, não sinto mais vontade de me depilar, pensar em levantar da cama pra tomar banho me cansa, já dormi várias noites sem escovar os dentes. O caminho da cama pro banheiro me parece longo, me parece cansativo.
As pessoas falam pra eu fazer um esporte, ler um livro, caminhar, como se fosse tão fácil... e eu me sinto ainda pior por não conseguir fazer uma coisa que parece tão simples pra todo mundo.
A única coisa que me anima de levantar da cama é sair pra beber e fumar, pois igual eu falei ali em cima, me sinto anestesiado.
Me sinto culpado por tudo, me sinto culpado até por me sentir feliz em alguns momentos, como por exemplo, quando tô bêbado. Eu acho que não mereço estar feliz, acho que eu não sou aquela pessoa que tá feliz, sei que só fico feliz porque estou bêbado. Me sinto culpado por sair e beber com meus amigos, eles não merecem ficar perto de alguém que transmite essa energia negativa que eu transmito.
Me sinto culpado por ainda não ter me matado, as pessoas devem pensar que eu só quero atenção. Afinal, só acreditam que você tem depressão quando se comete suicídio. E já que eu ainda não cometi, devem achar que eu não tenho porra de depressão nenhuma.
Procuro motivos pra sair da minha cama e melhorar a minha auto estima, não acho. Nenhum motivo é bom o suficiente pra eu querer continuar vivendo. Minha ex namorada me largou, minha situação financeira é ruim, moro de favor, não tenho um emprego, sou só mais um ser humano insignificante e insuficiente que só faz peso na terra, que não agrega em nada. Eu sei que preciso reagir, mas eu sou fraco, eu tô perdendo pra depressão.
Resolvi buscar ajuda tarde, quando já estava no fundo do poço. Errei, como de costume. Agora não sinto melhora com o tratamento, estou cogitando em parar de tratar.
Sei que não parece, mas falar sobre isso pra mim é foda, escrevendo esse texto eu senti vontade de me matar umas 3 vezes. Inclusive, eu tô planejando isso há um tempo. Não vai ser nenhuma novidade se acontecer um dia.
Com tantos caras melhores pra ela levar, pq a depressão escolheu um cara igual a mim?
submitted by toukeny to desabafos [link] [comments]


Como conseguir uma namorada - psycatgames.com